Mosteiros Budistas

VISITAS AO MUSEU ERAWAN 2006 - 2014 - 24Out2014 11:43:00






Erawan Museum (Thai: ?????????? ???? ???????) é um museu em Samut Prakan, Tailândia.
 
É bem conhecido pela exposição de arte.
 
Os três andares dentro do elefante contem antiguidades e coleções de valor inestimável de objetos religiosos antigos pertencentes a Khun Lek Viriyapant quem é o proprietário do museu. 
 
 

 
História da Erawan Museam

Museu Erawan na Tailândia é um importante modelo de escultura. O Museu Erawan é a abertura da porta para o património da cultura tailandesa. Com uma ampla gama de símbolos arquitectónicos combinados com artes plásticas e artesanato, layout estrutural e ambiente natural que integram harmoniosamente, o Museu Erawan cria uma espécie de atmosfera que induz os visitantes a perceber e apreciar a continuidade da história, culturas, religiões, artes e costumes da fé do passado para ele está localizado em uma área de 12 hectares por Assembléia Autumotive Thonburi Plant Co., Ltd. o museu é construído a partir da inspiração do Sr. Lek Viriyaphant Criador da Cidade antiga e Santuário da Verdade Pattaya City, Chonburi para proporcionar um local de armazenamento de artefatos e áreas de conservação do património e de continuar a preservar artístico traçado.

Estrutura do Museu Erawan

Os três dirigiram o elefante enorme feito de bronze pesa 250 toneladas, tem 29 metros de altura, 39 metros de comprimento e fica em 15 metros de altura pedestal. O interior do museu é modelado após a representação hindu do universo, que consiste no submundo (1 º andar), terra (2 º piso) e
Céu (último andar)
. Os dois andares inferiores estão localizadas dentro do pedestal enquanto o piso superior está localizado na barriga do elefante.

Espaço para exposições

O primeiro andar representa o submundo e contém uma coleção de vasos chineses das dinastias Ming e QinQ e uma história de construção do museu, como fotografias e cartazes de parede.

O segundo andar que representa a terra (ou mundo humano) casas de antiguidades e artes mais preciosos, incluindo cerâmica e olaria Europeia. O salão tem uma estátua de Guanyin, a deusa chinesa com mil braços.

O piso superior representa o Travatimsa Céu, que está localizado no topo do Monte Meru na cosmologia budista. Em exibição estão relíquias de Buda e muito antigas estátuas de Buda de várias épocas, incluindo Lopburi, Ayutthaya, Lanna e Rattanakosin. As paredes estão decoradas com pinturas retratando o cosmos.


 No dia 16 de janeiro de 2006, o articulista ficou encatado com a visita feita ao Museu Erawan, tendo para tal pago a quantia de 150 baths, e ficou encantado com tudo o que lhe foi dado a ver.
 


 
 
O que me foi dado a ver no ano de 2006
 
 
 
 

 
Esta foto apresenta uma coluna em estanho mas existem duas, uma com gravuras do Hinduísmo e outra com passagens biblicas cristãs.



 
 
 











Seriam imensas as fotos mas também com a altura que as colunas tinham poucas fotos conseguir tirar.















Esta masgetosa e bela decoração como poderão ver foi feita com peças de porcelana, colheres e tigelas


 
No interior do ventre do elefante onde se encontram expostas preciosas peças de porcelana e algum mobiliário.
 
 


 
Um altar defronte do museu



          Um jardim maravilhosamente decorado



Lago das orquideas

 
  A saída e ao tirar esta foto tomei uma molha pois os bicos da serpente viraram-se para mim e fui bem regado, mas como esta água segundo eles dizem é benta fiquei bem benzido.
Foi um passeio agradavél e cultural também, recomendo a todos que visitarem Bangkok a não perderem de visitar este museu.
 
O idealizador desta gigantesca obra nunca a chegou a ver, pois entretanto faleceu, seu filho mais velho deu continuação aos trabalhos que levaram dez anos a ser concluídos e são uma prova de gratidão a seu pai, mostrando assim a potência da realização do seu sonho que muitos julgavam impossível de concretizar.
 
O resultado desta obra de arte de forte influência Hindu no Budismo na Tailândia é uma homenagem ao povo tailandês.
 
Este senhor de origem chinesa é igualmente proprietário, era, agora passou para sua família, de mais duas colosais obras uma a cidade antiga ou Anciente City o maior museu ao ar livre do mundo, sito nesta aérea de Samut Prakan e o Santuário da verdade, Sanctuary of Truth, sito na praia da Pattaya e que é a maior estrutura feita em madeira, ver foto.



 
 
 


 
 
Volvidos oito anos, no dia 16 de outubro de 2014 de novo o articulista lá se deslocou, sendo o preço de entrada, depois as 17.00 horas, foi de 200 baths, sendo de 400 baths durante o dia até às 17 horas, bem caro agora e o local estava bem diferente do que me tinha sido dado a ver em 2006.
 
Já que a parte das mobílias e porcelanas se sita no rés do chão e não é permitido tirar fotos, na parte superior e a mais bela foi retirado muita informação, mas de qualquer das formas é digno de ser visto.
 
 











 
 


 




 
 


 
 
 





 
































Na cultura tailândesa o elefante é um animal sagrado e em tempos passados quando o rei da Tailândia, Rama V, visitou Portugal e desconhecendo os costumes dos tailandeses os portugueses para serem agradaveis ao rei queimaram, sobre a forma de fogo de artificio, um elefante branco o que causou em entrave político entre estes dois países que nunca mais foi sarado.

A história deste museu é outra bem original e quem visita o local fica de boca aberta ao ver o colossal elefante de três cabeças construído em cobre pesando 300 toneladas  e tem a altura de catorze andares, no seu interior encontra-se o museu.
 
Esta colossal obra foi um sonho do senhor Lek Viriyahbhun, o primeiro concessionário dos automóveis da marca Mercedez Benz na Tailândia e que tinha grande interesse pela cultura e pela filosofia.
A primeira ideia de construir tão magestosa peça de arte veio de um estrageiro que o visitou em Bangkok tendo-lhe surgerido para construir algo diferente que vosse ao encontro da cultura tailândesa.
O monumento está divido em duas partes, a base e o elefante em si.
A estrutura do elefante foi feita  com centenas de milhares de pequenas peças de cobre.  A tromba do elefante está decorada com fina porcelana, as  foram construídas com fios electrico e tubos de água e são composta de elevadores e outros instrumentos mecânicos.
O tronco está igualmente ricamente decorado assim como a sua cauda.
O idealizador desta gigantesca obra nunca a chegou a ver, pois entretanto faleceu, seu filho mais velho deu continuação aos trabalhos que levaram dez anos a ser concluídos e são uma prova de gratidão a seu pai, mostrando assim a potência da realização do seu sonho que muitos julgavam impossível de concretizar.
O resultado desta obra de arte de forte influência Hindu no Budismo na Tailândia é uma homenagem ao povo tailandês.
 
 


História da Erawan Museam

Museu Erawan na Tailândia é um importante modelo de escultura. O Museu Erawan é a abertura da porta para o património da cultura tailandesa. Com uma ampla gama de símbolos arquitectónicos combinados com artes plásticas e artesanato, layout estrutural e ambiente natural que integram harmoniosamente, o Museu Erawan cria uma espécie de atmosfera que induz os visitantes a perceber e apreciar a continuidade da história, culturas, religiões, artes e costumes da fé do passado para ele está localizado em uma área de 12 hectares por Assembléia Autumotive Thonburi Plant Co., Ltd. o museu é construído a partir da inspiração do Sr. Lek Viriyaphant Criador da Cidade antiga e Santuário da Verdade Pattaya City, Chonburi para proporcionar um local de armazenamento de artefatos e áreas de conservação do património e de continuar a preservar artístico traçado.

Estrutura do Museu Erawan

Os três dirigiram o elefante enorme feito de bronze pesa 250 toneladas, tem 29 metros de altura, 39 metros de comprimento e fica em 15 metros de altura pedestal. O interior do museu é modelado após a representação hindu do universo, que consiste no submundo (1 º andar), terra (2 º piso) e
Céu (último andar). Os dois andares inferiores estão localizadas dentro do pedestal enquanto o piso superior está localizado na barriga do elefante.

Espaço para exposições

O primeiro andar representa o submundo e contém uma coleção de vasos chineses das dinastias Ming e QinQ e uma história de construção do museu, como fotografias e cartazes de parede.

O segundo andar que representa a terra (ou mundo humano) casas de antiguidades e artes mais preciosos, incluindo cerâmica e olaria Europeia. O salão tem uma estátua de Guanyin, a deusa chinesa com mil braços.

O piso superior representa o Travatimsa Céu, que está localizado no topo do Monte Meru na cosmologia budista. Em exibição estão relíquias de Buda e muito antigas estátuas de Buda de várias épocas, incluindo Lopburi, Ayutthaya, Lanna e Rattanakosin. As paredes estão decoradas com pinturas retratando o cosmos.


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/10/visitas-ao-museu-erawan-2006-2014.html

VISITA AO WAT PHO - 21Out2014 03:30:00




Wat Pho (Thai: ??? ?????,  Wat Po]) é um templo budista no distrito de Phra Nakhon, Bangkok, Tailândia. . Ele está localizado no distrito de Rattanakosin diretamente junto ao Grand Palace  conhecido também como o Templo do Buda Reclinado, seu nome oficial é Wat Phra Chettuphon Wimon Mangkhlaram Ratchaworamahawihan . O templo é também conhecido como o berço da tradicional massagem tailandesa.
 
 



No dia 2 de outubro o articulista, juntamente com sua familia, foi visitar o mosteiro budista Wat Pho, que se situa em 2 Sanamchai Road, Grand Palace Subdistrict, Pranakorn District, Bangkok 10200, Thailand.















História
 
Wat Pho é o nome de um mosteiro na Índia, onde Buda se acredita ter vivido.  

Antes da fundação do templo, o local era um centro de educação para a medicina tradicional tailandesa, e estátuas foram criadas mostrando posições de ioga. Uma imagem enorme Buda de Ayuthaya de Wat Phra Si Sanphet foi destruída pelos birmaneses em 1767; Rei Rama I (1782-1809 dC) incorporou os seus fragmentos para construir um templo para ampliar e renovar o complexo.  
 
O complexo passou por muitas mudanças nos próximos 260 anos. Sob o reinado de Rei Rama III (1824-1851 dC), placas de inscritos com textos médicos foram colocados ao redor do templo.  
 
Estes reconhecimentos recebidos no Programa Memória do Mundo lançado pela UNESCO em 21 de Fevereiro de 2008.  Ao lado da construção de habitação Buda Reclinado existe um pequeno jardim elevado, o ponto central a ser uma árvore bodhi, que se acredita ter sido propagada a partir da árvore original na Índia, onde Buda se sentou, enquanto  aguardava a sua iluminação.
 
O templo foi criado como uma restauração de um templo sito no mesmo local, Wat Phodharam, com os trabalhos a partir de 1788 O templo foi restaurado e ampliado no reinado do rei Rama III, e foi restaurado novamente em 1982.


A imagem de Buda reclinado é de 15 m de altura e 43 m de comprimento, com o braço direito segurando a cabeça com cachos apertados em dois travesseiros caixa de azul, ricamente incrustado com mosaicos de vidro.
 


 





 


 
 



 Com 3 m de altura e 4,5 m de comprimento do pé de Buda desenhos foram embutidos em madre pérola. Eles são divididos em 108 painéis dispostos, exibindo os símbolos auspiciosos de Buda que podem ser identificados como flores, dançarinos, elefantes brancos, tigres e acessórios.  

Wat Pho é um dos maiores e mais antigos wats em Bangkok (com uma área de 50 rai, 80 mil metros quadrados),  e é o lar de mais de mil imagens de Buda, assim como uma das maiores imagens individuais de Buda.
 




Existem 108 tigelas de bronze no corredor, indicando os 108 caracteres auspiciosos de Buda.

Fiéis e visitantes colocam moedas nas tigelas  acreditando dar boa sorte, e para ajudar os monges a manter o wat (mosteiro).  Embora o Buda reclinado não seja um centro de peregrinação, continua a ser um objeto de piedade popular.
 
O complexo de Wat Pho é composto por dois compostos murados dividido por Soi Chetuphon direcção Este-Oeste.






 
O complexo murado norte é onde o Buda reclinado e a escola de massagens se encontram.

A murada do sul, Tukgawee, é um monastério budista trabalhando com monges em residência e uma escola.

 

 
Fora do templo, os motivos conter 91 chedis (stupas ou montes), quatro viharas (salões) e um bot (santuário central). 71 chedis de tamanho menor contém as cinzas da família real, e 21 grandes conter as cinzas de Buda.  
 
Os quatro chedis são dedicados aos quatro reis Chakri.  O templo tem dezesseis portas em todo o complexo protegido por gigantes chinesas esculpidas em rochas.  Estas estátuas foram originalmente importado como lastro de navio de comércio com a China.

 
 









 


O claustro exterior tem imagens de 400 Budas de 1200 originalmente comprado pelo rei Rama V. Em termos de arquitetura, estes são variados em diferentes estilos e posturas.

O templo é considerado a primeira universidade pública da Tailândia, ensinando os alunos nos campos da religião, da ciência e da literatura através de murais e esculturas.  
 
Em 1962, foi estabelecida uma escola de medicina tradicional e massagem.  
 




 
 
O templo é a casa de uma das primeiras escolas de massagem tailandesa.
 
Massagem tailandesa tradicional e da medicina é ensinado na actividade médica Associação Centro Tradicional, um salão ao ar livre fora do templo.  Para massagistas tailandesas, a inscrição médica dentro do templo serve como uma base para o tratamento.
 
 
 
Há 60 placas inscritas, 30 cada para a frente e de trás do corpo humano. Caminhos pontos terapêuticas e de energia, conhecidos como sen foram gravados e as explicações foram esculpidos nas paredes ao lado das placas .
 
Estudo completo sobre os diagramas ainda não está concluída -. Derivação até agora é que os números representam relações entre localizações anatômicas e efeitos produzidos pelo tratamento nesses locais.


 
 
























Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/10/visita-ao-wat-pho.html






ORDENAÇÃO DE UM NOVO MONJE - 15Jun2014 11:49:00






Na Tailândia o Budismo lançou raízes no século VII, nos reinos de Dvaravati (no Sul, na actual região da Bangkok) e de Haripunjaya (no Norte, na região de Lampun), ambos reinos da etnia Mon. No século XII o povo Tai, que chegou no território vindo do sudoeste da China, adotou o Budismo Teravada como sua religião, o que espalhou templos, caracterizados por altos e dourados estupas e uma arquitetura budista similar àquela de países como o Camboja e Laos, com os quais a Tailândia partilha laços histórico-culturais. Atualmente, quase 95% da população tailandesa é budista.
 
Segundo dados estatisticos existem mais de 31 200 mosteiros budistas espalhados pelo país, e o número de Monjes ultrapassa os 150 000.

A ordenção de um novo Bonzo (Monge) é sempre um envento social muito importante, para os familiares, mosteiro e para o local, onde os residentes igualmente tomam parte nas cerimónias.


O articulista, assistiu, por duas vezes, à ordenação de alguns de seus familiares, na aldeia de Ban Mea Long.
 
 

Nirvana

  1. É a meta do budismo.
  2. É o apagar do fogo das paixões e a extinção do ego.
  3. É não necessitar mais reencarnar.
  4. É o que todo budista procura por toda vida, a paz absoluta.
  5. É o que faz do homem comum um Buda.
  6. É a iluminação.
  7. É a extrema paz.
Existem muitas razões para os jovens se tornarem monjes budistas.

- Seguir os mensinamentos do lord Buda

- Quando um familiar falecer

- Pagar promessas, entre elas, quando se fica livre do serviço militar

- Para purificação da alma

                                                 Dois primos do articulista

Existem vários motivos porque se segue a religião budista e se tornam monjes, quer definitivamente quer para pagar promessas.
 
No dia de hoje está decorrendo uma dessas cerimónias, é um primo do articulista, que ficando livre do serviço militar, prometeu entrar num mosteiro e lá permanecer pelo menos três meses.
 
Esta decisão, dá à família e ao futuro monje um estauto social muito elevado



      Este miúdo, agora com vinte anos de idade, fez votos para se tornar monje budista

A ordenação budista ocorre tradicionalmente durante três dias.

Os dois primeiros dias acontecem no círculo familiar e estão relacionados com a preparação de ordenação ("PHITI BUAT NAK" - ???? ??? ???). O último dia relacionado com a ordenação tem lugar no mosteiro.

Quando seu filho tem vinte anos de idade, os pais organizar uma cerimônia de ordenação budista. Como seu filho se torna um monge, os pais recebem muitos méritos ou boas obras.




A primeira cerimónia que se realiza, é o futuro monge-noviço, antes de se preparar para as cerimónias, se ajoelha perante seus pais, confirmando a sua intenção em se tornar monge, solicitando-lhes as suas benções.
 


Os preparativos são efetuados em casa dos pais, onde o primeiro ato que se realiza é o corte do cabelo do futuro monge,  a pessoa escolhida para o fazer terá que ser um familiar e de muita reputação no seio familiar, nesta foto pode ver-se a esposa do articulista a cortar o cabelo ao primo.




Aqui, depois do cabelo rapado, a cabeça é lavada com água benta

Convites (?????? - "LIVRO BUN") para cerimônia de ordenação são enviados para parentes e vizinhança. Eles comparecem para ajudar na preparação cerimônia e confecionarem vários tipos de comida auspiciosa, deste modo praticando uma boa ação.
 


 
O futuro monge, após a cerimónia do corte de cabelo e tomar banho, usa as vestes próprias para as cerimónias, túnica branca, sendo a primeira realizada em casa, solicitando de novo a benzões de seus pais, tal como se pode ver na presente foto.



Já envergando a túnica branca tira fotos com familiares e amigos.

Depois segue-se uma festa acompanhada de um jantar 
                            








A esposa do articulista, ao centro, a sogra à direita e uma sua cunhada à esquerda.


 No jantar tipo chinês, em tomaram parte cerca de 200 pessoas, entre elas, como se pode ver nas imagens, familiares do articulista.






No dia seguinte, durante a manhã tem lugar uma outra cerimónia, na qual participam nove monges, onde o novo monge-noviço recebe as benção dos monges, seguindo-se depois um refeição oferedica aos monges.



 
 
 

Seguindo-se os preparativos para o desfile (??? ??? ???? ??? ???) que vai desde a casa do ordenado até ao templo budista. 






O novo monge-noviço em procissão para o mosteiro


A mãe do monge-noviço segue o cortejo, indo de triciclo, levando uma salva sagrada com flores









Uma banda segue o cortejo e as pessoas seguem dançando e cantando
 


 
 

O novo monge-noviço, antes de entrar no mosteiro toca na parte superior da entrada do mosteiro e faz sua jura de fidelidade.
 


O futuro monge, antes de deslocar para junto do altar afim de ser ordenado, faz as suas orações.


Preparativos para a ordenação, após o que receberá, mas mãos do bonzo mais antigo, a túnica de cor açafrão, recolhendo depois para os aposentados do mosteiro a fim de a vestir.

O candidato responde a perguntas feitas pelo sacerdote ("UPACHANA" - ?????????) que oficia a cerimônia de ordenação.

Algumas perguntas são "Você tem dúvidas?", "Você tem permiossão de sua mãe e pai para se tornar um monge?", "Você é um ser humano do sexo masculino?". A última pergunta veio de lendas budistas quando um "PHAJANAK" (? ?? ???) ou se disfarça de cobra em um ser humano, a fim de se tornar um monge. Buda descobriu a trapaça. O "PHAJANAK" não tinha permissão para se tornar um monge, mas desde essa época todos os candidatos a monkshood são chamados de "NAK" (???).

A pergunta "Você é um ser humano do sexo masculino?" também está ligada ao fato de que as mulheres não podem se tornar monges na Tailândia.

O novo monge aprende a usar a túnica de monge e está de volta na capela-mor para ouvir últimas recomendações do abade.
O novo monge recebe um novo nome monge em língua Pali.  A partir daí ele passa a fazer parte da vida monástica por um peródo pré determinado, caso não siga a vida religiosa.

Esta cerimónia se realizou nos dias 6 e 7 de junho do corrente ano, na província de Samut Prakan.

Neste mesmo dia foram ordenados no mesmo mosteiro mais 10 novos bonzos.

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 
O articulista assitiu a cerimónia de ordenação de monge, na aldeia de Ban Mea Long - Lampang, de seus sobrinhos, os quais entraram no mosteiro para pagar uma promessa, após o falecimento de seu bisavô.




O articulista com o primeiro bonzo  do mosteiro de Ban Mea Long


O articulista com o segundo bonzo do mosteiro da aldeia de Ban Mea Long - Lampang.

O primeiro e segundo monge do mosteiro da aldeia de Ban Mea Long, faleceram há relativamente pouco tempo.
 

O monge interino do mosteiro de Ban Mea Long


 
O articulista junto à entrada principal do mosteiro da aldeia de Ban Mea Long - Lampang


 
 Um fresco na entrada do mosteiro, freco este ofertado ao mosteiro pelo articulista




 





 
 
 




 
 
 
 
 
 
 



 
 
 
 
 










A pergunta "Você tem um ser humano do sexo masculino?" também está ligada ao fato de que as mulheres não podem se tornar monges na Tailândia.

O novo monge aprendeu a usar as roupas de monge e está de volta na capela-mor para ouvir últimas recomendações do abade.
 
Às vezes, o candidato está tão nervoso que ele esquece as respostas que ele deve dizer ao abade. Então este sussurra as respostas, a fim de ajudá-lo.

O novo monge recebe um novo nome monge em língua Pali. Ele agora faz parte da vida monástica.
 
 
 





 













 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 




Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/06/ordenacao-de-um-novo-monje.html

CERIMÓNIA DA BENÇÃO DE UMA CASA - 07Abr2014 12:25:00

CERIMÓNIA DA BENÇÃO DE UMA NOVA CASA




Na Tailândia, quando uma nova casa é construída, tem sempre lugar  uma cerimônia budista chamada "KEUN BAAN MAI".
 
O objetivo desta cerimônia é  abençoar a nova casa e seus habitantes.
 
Foi o que aconteceu, ontem, dia 6 de abril, na cerimónia de inauguração de uma nova casa, de uma irmã de minha companheira, residente na cidade de Pak Chong.
 
 
 
 
Monges são convidados para presidir à cerimónia, porém  o dono da casa necessita pagar para que monges venham a sua  casa. Mas os tailandeses dizem que desta forma se pratica  uma boa ação, ofertando dinheiro ("THAM BUN" - ?????) ao templo.
 
 
Nove monges presidem à cerimónia e poderão vir de diversos templos.  O primeiro monge  cuida da água benta. O segundo segura o microfone. O microfone está ligado a alto-falantes, a fim de que todos os moradores podem ouvir os monges.
 
 
 Água benta é tradicionalmente retirada de água subterrânea contida em um vaso de bronze. Monges budistas podem usar suas esmolas taças para segurar a água benta. Velas de cera são muitas vezes colocadas na borda da taça, em que a água benta está a ser acondicionada. Segundo as lendas budistas, quando gotas de cera caírem dentro da tigela, as doenças, o sofrimento e o mal são lavados.
 
Folhas de ouro e até mesmo flores de lótus podem ser colocadas na taça para aumentar seus poderes mágicos. A água mais sagrada é composta por  quatro elementos: terra, água, fogo e vento. A Terra é representada pelas gotas de cera, a água porque se encontra na tigela, por fogo,  a chama da vela e do vento pela extinção de vela.
 
 
 

Todos os monges estão segurando uma corda branca ("SAI SIN" - ?????????). As orações vibrações se espalhar através da corda branca e são supostamente para proteger a casa e dar sorte para os seus habitantes.
 
A linha branca sagrada ("SAI SIN" - ?????????) passa a partir da imagem de Buda e através das mãos de cada um dos monges que  cantando vão durante a cerimônia.
 
Os monges rezam orações em língua Pali. Depois de monges os convidados por essa altura oferecem esmolas, colocando comida nas tigelas dos monges,  deve ser  colocada uma pequena porção (bolinho de arroz, frutas, flores) em cada tigela do monge.
 
 
 
O dono da casa e sua família oferecem comida e presentes aos monges. Os monges não podem comer tal quantidade de comida, mas eles tem que comer um pouco de cada prato demostrando ao doador o seu  agradecimento.











 



 
 
 
Após a saída monges, os convidados compartilhar os restos da comida.
 
 
 
Após as orações, os monges abençoam os convidados pela aspersão de água benta.
 
 
 
 
 
Uma vez que a refeição, um monge abençoa a casa pela aspersão de água benta em todos os quartos. Finalmente, na porta da entrada, o monge escreve símbolos Pali com uma pasta branca especial.
 
 


Este o desenho e a escrita que monge principal desenhou na porta de entrada da casa.
 
No meio da tarde, outra cerimônia  acontece. A família e os parentes se reúnem em uma sala, o mais velho da família dá início à cerimónia chamada de "PHITI BAI SRI SU KWAN" (???? ???? ??? ???????). Um homem sábio diz frases auspiciosas.

 À noite há uma festa com convidados pelo proprietário da casa. Alimentos, bebidas, música estão disponíveis.
 
 
 
O articulista já não esteve presente durante o jantar, visto ter regressado a Bangkok, após a cerimónia da tarde.
 
 
(A preparação de toda esta cerimónia dá imenso trabalho e muita despesa, num próximo artigo, irei expor como as coisas funcionam).
 
 
 
 
 
 


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/04/cerimonia-da-bencao-de-uma-casa.html

WAT (templo) BAN RAI - 07Abr2014 04:21:00




                                               

 
 
WAT BAN RAI
 
 
 

Um dos templos mais famosos da NAKHONRATCHASIMA, templo Ban Rai é reconhecida como a residência do notável monge  Luang Pho Khun Parisutto.
 
 
 
Localizado no Tambon Kut Phiman, Amphoe Dan Khun Thot aproximadamente 60 km de distância da cidade, milhares de pessoas de todo o país vêm, diariamente  prestar homenagem e respeito por Luang Pho Khun.
 
 
 

O templo foi inaugurado 01 de novembro de 2013. É o maior santuário mosaico cerâmico da Ásia e foi feito à mão pelo povo tailandês com mais de 20 milhões de peças de mosaico.
 
A construção se deu graças à determinação do monge Luang Poh Koon, que disse: 'Eu vou fazer isso para as pessoas que me dão comida e água todos os dias ", diz Kriengkrai Jarutawee, vice-presidente da comissão de Wat Baan Rai.

Wat Ban Rai é ??um templo importante para as pessoas Isan. 

Muitos fiéis vêm aqui para pagar o seu respeito para Luang Phor Khoon Parisuttho, um monge muito respeitado e conhecido na Tailândia.
 
 
 
No passado dia 3 de abril, o articulista e sua família, foi visitar este magnifico templo.
 
 
 
 
 
 

A visita começou ao visitar-mos este edifício, no qual está patente a vida do reverendo monge.
 
Está um dia super quente, e os visitantes, à entrada deste local, bem longe da porta principal de entrada, foram obrigados a descalçarem-se, o que nessa caminhada ficaram com os pés a escaldar, mas enfim!...










 
Neste edifício museu, relata passagens da vida do reverendo monge.
 
 
 
 
Fontenário com os 12 signos do zodíaco chinês, os fiéis, ali vão, recolhendo água do seu signo, alguns a bebem, outros, tal como o articulista, recolheu a água, de seu signo, macaco, e com ela lavou a face.
 

 
Depois tencionavam-mos visitar o interior deste magnifico templo, mas só o podiam-mos fazer, após uma longa palestra, e na companhia de outros visitantes.
 
Não chegamos a entrar.
 
O articulista estava com vontade de urinar e para tal se deslocou aos sanitários, mas qual foi o espanto do articulista quando uma moça lhe pediu um smart card que teria que ser comprado na zona das palestras, resultado teve que aguentar e na saída usou os sanitários públicos jutno às bancas de vendas de lembraças, já fora do mosteiro.
 
 
 
 O que o articulista comprou numa das várias lojas defronte do tempo, foram dois amuletos, a companheira do articulista como é comerciante, e segundo rezam os bons costume deverão ter junto ao balcão ou no altar um destes amuletos.





E desta forma terminou a nossa visita ao mosteiro, dali seguindo para a cidade de Nakhon Ratchasima, onde a companheira do articulista foi prestar homenagem à heroína  Thao Suranaree.


 
 
 
 
 


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/04/wat-templo-ban-rai.html

PHRA PATHON CHEDI - 06Fev2014 10:22:00

MOSTEIRO PHRA PATHON CHEDI - NAKHON PATHON


NAKHON PATHON 

 

 

Para um europeu como eu habituado aos costumes e hábitos orientais nada já me surpreende, porém a cada dia que passa novas coisas vou vendo e que me impressionam.

A Tailândia é um imenso país com uma população de cerca de 65 milhões de habitantes, muitos deles de etnia chinesa e são preponderantes na ecónomia do país.

Como não podia deixar de ser a comemoração do ano novo chinês, que se festejava nesse dia 29 de Janeiro de 2006, este ano sob o signo do cão é de vital importância para os chineses.

Na Tailândia existem milhares de templos tipicamente tailândeses, existindo igualmente muitos templos chineses, embora a religião seja a mesma, o Budismo, existem muitas diferenças entre uma e outra e os chineses vão orar a ambos os templos.

 
Foi nessa manhã de domingo que minha companheira quis ir visitar o templo Pha Pathom Chedi, sito na cidade de Nakhon Pathom que dista de Bangkok 62 kms., afim de agradecer junto de seu Buda a ajuda que tinha dado a nossa família e principalmente a nossa filha mais velha que tinha concluido o curso universitário com sucesso.



Embora já tivesse visitado, por várias vezes, o majestoso mosteiro esta nova ida lá, deu para que eu ficasse a entender e compreender melhor a sua história. O articulista já visitou este enorme e belo mosteiro por três vezes.



Por volta das 12.00 horas a minha companheira por mim chamou dizendo-me para ir trocar de roupa, pois iria-mos a Nakhon Pathom, estralhei, mas tudo bem. Esta viagem já estava programada para outra altura, mas não para esse dia e nem tão pouco aquela hora que era já um bocado tarde, mas assim aconteceu devido a mãe de minha companheira estar na nossa casa em Bangkok e onde aguardava-mos a vinda lá da aldeia de Ban Mea Long, no norte, de uma amiga, que nos trazeria um pedaço de madeira de jaca para fazer-mos uma tabuleta para a nossa pastelaria e a qual queria-mos levar para que um bonzo a bezem-se e nela inscreve-se algumas auspiciosas letras, mas essa amiga só chegaria a Bangkok na próxima semana e a mãe de minha companheira antes disso regressaria a sua casa, na aldeia de Ban Mea Long, e como tal aproveitámos a ir mesmo sem a tal peça de madeira.



Depois de abastecer-mos a viatura, o jeep Isuzu MU 7, e as miúdas terem comida alguma coisa lá seguimos. 

Existem várias vias de saída de Bangkok que vão dar a cidade de Nakhon Pathom, minha companheira, embora viva em Bangkok desde criança ainda não conhece bem a cidade e suas vias. Deveríamos seguir por uma via que fosse dar acesso a auto estrada A 2 a via mais rápida, mas como sempre erramos na saída e seguimos por uma via secundária que nos obrigou a levar mais tempo e a ter-mos de indagar, por várias vezes, a algumas pessoas, qual o caminho correcto para a cidade onde iriamos. 

Eram 15.20 horas quando quando chegamos a cidade e por sorte conseguimos um parque numa via junto ao mosteiro que iriamos visitar. 

Eu ainda não tinha almoçado, e a barriga estava a dar horas, e ali por perto havendo vários restaurantes aproveitei o primeiro que deparei que servia comida chinesa, embora o aspecto do mesmo não fosse lá grande coisa foi ali que abanquei e escolhi uma comida simples mas muito nutritiva

 

                              Esta senhora era a conzinheira de serviço


                               A comida pedida foi a que se apresenta






O recinto no sopé do mosteiro estava transformado numa enorme feira e ali se podia encontrar de tudo, mas o nosso objectivo principal era ir ao mosteiro a feira essa ficaria quando estivéssemos para regressar a Bangkok. 

Nakhon Pathom que deriva de Pali Nagara Pathama, que quer dizer Primeira cidade, e que é capital da província com o mesmo nome. 

Esta cidade é uma das mais antigas do país e foi importante centro na época do reino de Dvaravat, desde o século VI até ao século XI, alguns historiadores de renome, calculam que a cidade foi formada três séculos antes do nascimento de Cristo, quando missionários budistas indianos visitaram o local. 

Quando o rio Tha Chin, que banhava a cidade, mudou o seu curso, esta ficou sem água e os seus habitantes construiram uma outra cidade junto a margem do rio, cidade essa que passou a chamar-se Nakhon Chaisi ou Sirichai.

 











 


A presente estrutura do templo foi criada pelo Rei Rama IV no ano de 1853.O Rei Mongkut, Rama IV depois de ter terminado a restauração e ampliação do templo Phra Pathon Chedi, em 1870, fez regressar a antiga população.O presente selo provincial tem inserida a imagem do templo que foi um importante centro budista no século VI.Foi a esta cidade, mais propriamente o mosteiro, ou templo,como lhe queiram chamar, onde fomos prestar homenagem e pedir graças ao grande Buda.

 O imponente mosteiro erguido no alto de uma colina é o maior do mundo com seus 120,45 metros de altura, para se já chegar tivémos que subir a vasta escadaria, que nessa altura estava repleta de gente e foi com alguma dificuldade que, lentamente, as subimos.

Quando chegámos ao topo e havendo imensa gente fomos para as partes laterias do templo fazendo oferendas em dinheiros, moedas de 10 céntimos do baths, para desejar sorte, e deita-las nas imensas tigelas de cor dourada e prateada, existentes em vários locais do mosteiro e o articulista os seguiu colocando moedas nas tigelas.






                  Esta foto foi tirada numa outra ida ao mosteiro no ano de 2009

Só depois fomos buscar um conjunto de oferendas constituído por uma vela amarela, pequena, três pivetes e uma folha de papel que continha um placa finissima de ouro. 



Foi com muita dificudalde que conseguimos aproximar-nos da imagem principal e ali orar.Depois colacámos num varinha com uma bandeirinha amarela, simbolo da regilião, umas notas de 20 baths, tal com o poderão ver nas fotos abaixo inseridas.


Mas naquele mosteiro como ma maioria dos 31 200 mosteiros expalhados pelo país as ofertas podem ser feitas de variadas formas, desde telhas, cimento, tintas, dinheiro como também imagens. 

Uma religião bem diferente do Cristianismo, com todas as suas peculidades.

As tais folhinhas de papel que continham a placazinha de ouro serve para revestir as imagens como podem ver por esta imagem. 

 




A volta do mosterio existem imensos ninchos onde estão se encontram imagem do Buda em várias posições e de várias formas.

 Incluiu apenas algumas das centenas que se encontram por todo o recinto.








Todo o local em dias normais é calmo e sereno dando-nos uma paz de espírito fora do vulgar que nos convida a reflexão e a oração. 



Existem igualmente caves com imagens mas essas eu não entrei, mas pude apreciar seus belos jardins. 


E ver as bonzas vestidas de branco sairem dos oratórios no interior do templo mas em outra zona que também não cheguei a entrar, mas qualquer dia lá irei de novo e com mais calma poderei então ficar a conhecer todo o enorme mosteiro.



 Na foto anterior turistas chinesas saindo do templo, e como podem reparar todas elas iam vestidas de vermelho, uma tradição chinesa, que segundo eles dizem dar sorte, a cor vermelha é usada em todas as grandes cerimónias.

Curioso como sempre sou lá andei sózinho tirando fotografias e tomando apontamentos em minha mente, pois nem papel nem lápis levava comigo, mas de nada me esqueci, havia uma banca onde se podia fazer uma oferta ao templo e em troca era entregue um pequeno saco de cimento e uma lata de tinta, como poderáo ver na foto inserida em seguida. 



Mas havia também telhas como podem ver, mas noutra banca, tudo isto para ofertar ao mosteiro em virtude de tudo ser necessário. 



As garrafas de água apresentavam-se em forma do próprio mosteiro. 




 As telhas a que me referia e por perto estava um bonzo já de avançada idade que ia dando a benção a todos aqueles que a solicitavam, eu lhe curvei perante ele e tomei um banho de água benta, lançada por um tipo de vassoura.



Por lá andámos ainda umas boas horas, havia panos enormes de cor avermelhada onde os fiéis inscreviam as suas preces e eu como não podia de ser lá inscrevi a minha. 

Depois fizémos uma oferta simbolica de um azulejo e de seguida fomos a procura de um famoso bonzo para nos dar as benções já que não tinha-mos levado conosco a tal placa indicativa com o nome da pastelaria, nos inscreveu algo nas garrafas de água, e por isso lá teremos que ir de novo qualquer dia.Encontrámos o bonzo fazendo as suas rezas e inscrevendo palavras auspicosas em duas de futebol tal como podem ver pelas imagens. 

Eram já umas 17.30 horas quando descemos as escadarias do mosteiro e nos despedimos do grande Buda, cá em baixo havia uma feira enorme, e segundo fiquei a saber a mesma é diária e lá se encontra de tudo a venda, havia também uns altares dos fiéis chineses que nessa noite comemoravam a passagem de ano com um enorme jantar a sua moda. 

Eram também aos milhares as pessoas que transitam pelas abertas artérias da feira.





A mãe de minha companheira ao ver um delicioso petisco que consistia num insecto, tipo barata, mas daquelas voadoras, não resitiu e lá foi comprar um pacote delas e com elas se deliciou comendo-as.



Sáo muito nutritivas e ricas em vitaminas e proteínas, digo isto com conhecimento de causa pois já as tinha comido em Macau e até gostei. 

Mas havia de tudo e aproveitamos também para comprar algumas bonitas blusas em seda, bem baratas assim como algumas letras para o tal letreiro da pastelaria, e cujo preço era muito mais inferior ao pedido nas lojas em Bangkok.

O almoço tinha sido fraco e como tal o jantar teria que ser melhor, mas não o tomá-mos em Nakhon Pahtom mas sim quando chegámos a Bangkok.

A auto estrada apresenta um movimento fora do vulgar, imensas viaturas regressavam a Bangkok e com toda aquela confusão tornar-mos a enganar-nos na entrada da cidade e fomos parar a uma zona onde nenhum de nós tinha ido antes.

Mas foi por aquelas bandas que avistámos um letreiro de restaurante e ali jantámos, a escolha ao acaso até saiu de boa forma, pois a comida era óptimo e o preço esse bem acessível.


Foi o proprietário do restaurante que depois nos indicou o caminho para a zona onde fica situada a nossa casa.


Assim e da melhor forma terminou a nossa visita ao Santuário de PHRA PATHON CHEDI e grato ficámos pelas ajudas recebidas.




Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/phra-pathon-chedi.html

TERAVADA - MONJES BUDISTAS - 06Fev2014 08:34:00

TERAVADA - MONJES BUDISTAS



O Teravada (do páli thera, "anciãos" e vada, "palavra, doutrina" , "Doutrina dos Anciãos") é a escola budista mais antiga e viva até hoje. Ela atribui seu começo aos próprios ensinamentos do Buda através do textos do Cânone Páli (Tipitaka) e não considera canônicas as escrituras adotadas pelas escolas Maaiana e Vajrayana.




O Teravada é uma das vinte escolas que surgiram nos primórdios do budismo. Nascida da divisão da comunidade monástica no Primeiro Concílio budista, cem anos após a morte do Buda, é a única que se mantém viva até hoje. As outras escolas surgiram através de mesclagens, adaptações e reinterpretações dos conjuntos doutrinais dos primeiros séculos. Por se manter fiel ao Cânone Páli, o Teravada é considerado a mais ortodoxa das escolas.
                                                                

Algumas vezes o Teravada é indevidamente chamado de escola Hinaiana, o que etimologicamente é um termo pejorativo ("pequeno veículo"). O mal-entendido existe do erro de interpretação de alguns textos antigos que citavam as escolas, Sarvastivada e Sautrantika, combatidas por um movimento filosófico emergente na época, o qual se autointitulou Maaiana ("grande veículo"). Os primeiros estudiosos ocidentais pensavam que o Teravada, por ser uma escola antiga, a única que chegou aos dias de hoje, seria a chamada escola Hinaiana. Apesar de pesquisas históricas atuais já terem desbancado tais suposições, muitos continuam mantendo tais idéias errôneas.




Os principais países onde esta escola está difundida são, principalmente: Sri Lanka, Tailândia, Mianmar, Laos, Camboja e Bangladesh. Sua presença é expressiva em países como Vietnã e Malásia. Em décadas recentes o Teravada começou a fincar suas raízes no Ocidente, como nos Estados Unidos da América e Inglaterra. Actualmente o número de budistas desta escola em todo o mundo excede 100 milhões de pessoas.

Diversos Nomes

O próprio Buda chamou sua religião de dhamma-vinaya ("doutrina e disciplina"), referindo-se aos dois aspectos fundamentais do treinamento ético e espiritual que ele vivia e ensinava. O Budismo Teravada pode ser classificado como "Budismo do Sul", em referência aos países do sul e sudeste da Ásia onde predomina a escola. Também é freqüentemente identificado com o Hinaiana ("pequeno/menor veículo"); o uso deste termo de forma pejorativa teve origem nas primeiras divisões que ocorreram na comunidade monástica após a morte do Buda. Hoje, muitos acadêmicos utilizam a denominação Hinaiana despojada de qualquer intenção pejorativa.

                                                               

Páli: o idioma do cânone


O páli, um idioma muito próximo ao magadhi, que era falado na região central da Índia durante o período do Buda, é a língua dos textos canônicos do Teravada. A maioria dos discursos proferidos pelo Buda foi memorizada melo monge Ananda, o primo do Buda e seu assistente pessoal. Pouco tempo após a morte do Buda (544 a.C.), cerca de quinhentos monges, incluindo Ananda, se reuniram para recitar todos os discursos que eles haviam ouvido durante os 45 anos de ensinamentos. Ficou convencionado que todos discursos (suttas) deveriam iniciar com: "Assim ouvi" (Evam me suttam). Seguindo uma tradição oral firmemente estabelecida, estes ensinamentos foram transmitidos dentro da comunidade monástica e aproximadamente no ano 100 a.C., na região do Sri Lanka, a Tipitaka foi compilada por escrito pela primeira vez.

É claro que jamais será possível provar que o Cânone em Páli contém as palavras tais como foram ditas pelo Buda histórico. No entanto, a sabedoria contida no Cânone tem servido ao longo de séculos como um guia indispensável para milhões de discípulos na sua busca da Iluminação.

Fonte - Portal Budista
======================================================


                   Segundo fontes oficiais 94,7% da população tailandesa é budista, existem no país, mais de 31 200 templos budistas onde se pratica o TERAVADA, os seus ensinamentos são ministrados por cerca de 150 000 monjes.
Foto tirada pelo articulista, na aldeia de Ban Mea Long, norte da Tailândia,  aquando da realização de cerimónias religiosas, pela alma de um familiar do articulista, que tinha falecido fazia um ano.


Dois jovens monjes, que tal como  o articulista, o foram durante o periodo de uma semana, afim de pedir graças ao Lord Buda pelos seus familiares.


Um monje recebendo comida, este ritual é diário e se pode ver nas ruas pertos dos mosteiros, esta dádiva de comida é para os monjes, visto eles não possuirem cozinhas nem cozinharem nos mosteiros, estas dádica são chamadas dádivas às almas.


Um monje da floresta, este monjes não pertecem a nenhum mosteiro, levam a vida caminhando e orando, construem pequenas casinhas na floresta como abrigo temporário, usam uma rede mosquiteira, um guarda-sol e pouco mais, nunca aceitam boleias e vivem do que lhes é ofertado ou que a selva lhe proporciona.



Recolhimento de um monje da floresta


São os próprios monjes, por vezes com a ajuda das monjas, que fazem a limpeza do monteiro e das zonas a eles adjacentes. (Foto tirada pelo articulista na cidade de Rayong)



Monjes aguadando por transporte para os levarem para o templo, foto tirada pelo articulista na cidade de Chantanburi.


Mones noviço fazendo compras de CDs


Monjes passeando pela praia em Rayong, foto do articulista


O articulista e um monje, num mosteiro na cidade de Trat.



O articulista junto ao monje da aldeia de Ban Mea Long, este monje já faleceu.


O monje que foi ocupar o lugar deixado era este que est'a junto do articulista, este monje faleceu no ano de 2008, tendo sido nomeado, provisóriamente, um jovem monje para a aldeia de Ban Mei Long, o articulista com o jovem monje tirou uma foto, foto essa que por mais volta que já tenha dado a não encontro.

Familiares do articulista que se tornaram monjes por uma semana.

                                           


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/teravada-monjes-budistas.html

WAT POM WICHIAN - 04Fev2014 10:12:00

SAMUT SAKHON - WAT POM WICHIAN


Saidos do hotel percorremos algumas ruas, as placas das ruas são bem giras, em direcção ao mosteiro Wat Pom Wichian




O mosteiro encontrava-se em reparação, pelo que não podemos visitar a parte principal do mesmo





O mosteiro é composto por vários edificios, este é um deles, não o principal




Os Lords Budas, alinhados conforme o dia da semana



Mais um pequeno altar



Deus Erawan, ou seja o deus das 4 faces



Tigelinhas douradas para que os fiéis possam doar algum dinheiro ao templo



Em todos os templo existe uma urna, e os fiéis fazem oferta de algum dinheiro, para que o mosteiro possa ajudar algum necessitado, ao fazer o donativo existe um impresso onde os fiéis escrevem o nome de seus familiares falecidos, para que descanse em paz no reino dos céus.






Entrada lateral do mosteiro


Seguimos depois em direção de Tchachalom, onde fomos visitar mais três mosteiros budistas e a igreja de Santa Ana.

Nas vias podemos encontrar alguns arcos alusivos a Sua Magestade o Rei da Tailândia


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/wat-pom-wichian.html

WAT NOI NGAN HONG - 04Fev2014 10:09:00

SAMUT SAKHON  WAT NOI NGAN HONG

                     O articulista à entrada do Wat Noi Ngan Hong, templo este em estilo birmanês



                                                  Placa indicativa do mosteiro

Este´o mosteiro em estilo birmanês, já que no local existe outro mosteiro com o mesmo nome, porém em estilo tailandês.







O articulista e sua esposa fazendo uma oferta ao monge


Imagens de famosos monges, em volta do templo


O interior do tempo birmanes


Um relicário no templo birmanes


O articulista defronte do mosteiro, este em estilo tailandês, encontrando-se quase pronto, não foi possível visitar o seu interior em virtude de estar em reparações




Numa outra ala, lateral, encontram-se expostas estas imagens


Na ala central encontrava aberta e provisoriamente ali se realizam as cerimónias



A esposa do articulista orando


Vários monjes se encontravam no local, abençoando alguns fiéis que lhes vieram ofertar a primeira refeição do dia


Os fiéis ainda ali permaneceram, enquanto os monges almoçavam


Depois de visitado mais este mosteiro, seguimos para o WAT LAN SAN PRASIT


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/wat-noi-ngan-hong.html

WAT LAM SAN PRASIT - 04Fev2014 10:06:00

SAMUT SAKHON - 10a. parte - WAT LAN SAN PRASIT

                          

                                                             Wat Lan San Prasit


                          O articulista junto a uma das placas indicativas do mosteiro





















Eram já 12.15 horas e como tal não nos foi possível visitar o interior dos mosteiros, em virtude de já se encontrarem encerrados, abrindo somente lá para a tardinha, como tal prosseguimos a nossa viagem indo visitar o templo da Deusa Kun Iam.


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/wat-lam-san-prasit.html

TEMPLO DE KUN IAN - 04Fev2014 10:04:00

SAMUT NAKHON - TEMPLO DE KUN IAN




Imagem da deusa Kun Ian


                                                          Entrada para o templo


  Fiéis orando, como é um mosteiro chinês, os pivetes a queimar, em oferta à deusa, são enormes.




Ofertas à deusa Kun Ian




No interior do mosteiro a imagem da deusa Kun Ian





Em Macau existe um velho mosteiro, sito na Avenida Coronel Mesquita, dedicado a esta deusa, e uma imagem esculpida por uma artista portuguesa, na zona da Nape.

********************************************************************

Após termos visitado este moteiro chinês, fomos visitar um mosteiro budista tailandês que fica mesmo defronte, mosteiro esse cujo nome é WAT CHOM LON e a Igreja Católica Santa Ana, que se encontra no mesmo local

********************************************************



                   Para quem  não saiba quem é a deusa Kun Ian, aqui fica a explicação

Kuan Yin ou Guanyin (em chinês: ??; pinyin: Gu?ny?n; Wade-Giles: kuan-yin; em japonês: Kannon; em coreano: Gwan-eum; vietnamita: Quan Âm) é o bodisatva associado com a compaixão tal como é venerada pelos budistas da Ásia Oriental, geralmente na forma feminina.






O nome Guanyin e uma abreviação de Guanshiyin (???; pinyin: Gu?nshìy?n; Wade-Giles: kuan-shih yin) que significa "Observar os Sons (ou Gritos) do Mundo".

Os fieis de origem chinesa geralmente aceitam que Guanyin se originou com o Avalokite?vara (????????????) sânscrito, sua forma masculina.





Comumente conhecida nos idiomas ocidentais como Deusa da Misericórdia, Guanyin também é cultuada pelos taoístas chineses como um dos Oito Imortais; na mitologia taoísta, no entanto, possui histórias relacionadas à sua origem que não são relacionadas diretamente a Avalokite?vara.

A misericórdia em diferentes culturas

No budismo chinês, Kuan Yin, Guan Yin ou Gu?ny?n ??representa a compaixão ou misericórdia de todos os Buddhas e tem sua simbologia advinda do bodhisattva Avalokiteshvara, em sânscrito Avalokite?vara (????????????), divindade tradicionalmente masculina do budismo indiano, que dá origem a várias representações asiáticas, e que chega à China com o budismo no ano de 67, sincretizando-se com divindades femininas locais.

Kuan Yin está associada às características femininas da maternidade e proteção, na China ligadas milenarmente de modo bastante forte à misericórdia

Também no Japão a representação budista da misericórdia tem características femininas predominantes, sendo conhecida como Kannon Bosatsu????.

No budismo tibetano recebe o nome Chenrezig, e, assim como Avalokite?vara na Índia, tem características masculinas predominantes.

Nu-Kua ou Kuan yin

Há cerca de seis ou sete mil anos havia um mito universal de que todos os seres eram provenientes do útero de uma Mãe Cósmica; tal mito da criação universal teve lugar durante uma fase informe do mundo, aonde nada podia ainda ser identificado.

Inicialmente cultuada na Índia, como Kali, a Mãe Informe, recebeu depois o nome de Tiamat (Babilônia), Nu Kua (China), Temut (Egito), Têmis (Grécia pré-helênica) e Tehom (Síria e Canaã) --este último foi o termo usado mais tarde pelos escritores bíblicos para Abismo.

As mais antigas noções de criação se originavam da idéia básica do nascimento, que consistia na única origem possível das coisas e esta condição prévia do caos primordial foi extraída diretamente da teoria arcaica de que o útero cheio de sangue era capaz de criar magicamente a prole.

Acreditava-se que a partir do sangue divino do útero e através de um movimento, dança ou ritmo cardíaco, que agitasse este sangue, surgissem os "frutos", a própria maternidade.

Essa é uma das razões pelas quais as danças das mulheres primitivas eram repletas em movimentos pélvicos e abdominais. Muitas tradições referiram o princípio do coração materno que detém todo o poder da criação. Este coração materno, "uma energia capaz de coagular o caos espumoso" organizou, separou e definou os elementos que compõem e produzem o cosmos; a esta energia organizadora os gregos deram o nome de Diakosmos, a Determinação da Deusa.

Os egípcios, nos hieroglifos, chamaram este coração de ab e os hebreus foram os primeiros a chamar de pai (ainda que masculinizassem, a idéia fundamental de família e continuidade da vida não era patriarcal).

O coração e o sangue definem um elo imanente a todos os seres que dele nasceram e uma idéia de coração oculto do universo que pulsa e mantém o ritmo de ciclos das estações, dos nascimentos, mortes, destinos. Este é o significado que está no Livro dos Mortos ou das Mutações. No mesmo sentido o livro chinês é denominado Livro das Mutações.

O nome chinês dado à Mãe Primordial e informe é Nu Kua, nome referido também entre os egípcios, gregos, mesopotâmicos e hindus. As referências a ela remontam há 2.500 a.C. e a imagem permanece venerada nas regiões setentrionais. Kuan Yin ou A Mulher é uma deusa dos casamentos e das mulheres em geral.

O corpo original do I Ching chama-se (Oito Trigramas) e os sessenta e quatro hexagramas são denominados por kua, derivado linguísitico de Mãe Primordial ou Nu Kua.

********************************************************************************






                                                  Imagem da deusa Kun Ian em Macau



O Templo de Kun Iam Tong é um dos três maiores e mais ricos templos budistas de Macau e, originalmente, era chamado de ?Pou Chai Sim Un? (Templo de Pou Chai).
 
É considerado como um dos templos mais antigos de Macau e foi fundado no séc. XIII para venerar a Kun Iam, a representação chinesa de Avalokiteshvara, o Bodhisattva da Misericórdia. Os edifícios actuais do templo foram construídos em 1627, facto comprovado por uma laje do pátio onde está escrito, em chinês: ?Construído no sétimo mês do sétimo ano do reinado do Imperador Tian Qi?.
 
O Templo localiza-se na Avenida do Coronel Mesquita, na Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, perto de Mong-Há e dos Templos de Kun Iam Tchai e de Seng Wong.

O templo possui um grande portão de entrada e telhados adornados com figuras de porcelana. Dentro do templo, existem 3 pavilhões principais ricamente decorados que são separados por 2 pátios. Estes pavilhões são dedicados, respectivamente, aos Três Budas Preciosos, ao Buda da Longevidade e a Kun Iam.

No terceiro pavilhão, a estátua de Kun Iam está vestida de seda bordada e decorada com uma coroa em franja, que é substituída anualmente. É acompanhada por 18 Budas de cada lado do altar. Atrás destes pavilhões existem jardins com terraços, e um deles contém um arco comemorativo. Para além do valor arquitectónico e artístico do templo, dada à sua rica decoração, ele guarda uma grande quantidade de documentos importantes e rolos de caligrafia e pintura chinesas de autores famosos como, por exemplo, Qu Dajun. Durante a Segunda Guerra Mundial, o pintor chinês Gao Jianfu viveu e ensinou no templo.

Foi precisamente numa mesa de pedra localizado num dos jardins do templo que foi assinado o primeiro tratado sinoamericano em 3 de Julho de 1844 pelo Vice-Rei de Cantão, Ki Jing, e o ministro Caleb Cushing dos E.U.A.. Este tratado é conhecido como o "Tratado Sino-Americano de Mong-Há". Perto da mesa, existem 4 árvores de idade avançada com ramos entrelaçados, mais conhecidas de "árvores dos amantes" e que simbolizam a fidelidade conjugal. Noutras partes do jardim existem um pequeno pavilhão que contém uma estátua de mármore de um monge, várias fontes com a forma de paisagens chinesas em miniatura, tufos de bambú e pequenos nichos em honra de monges falecidos.

A festa de Kun Iam é celebrada no 19º dia do segundo, sexto, nono e décimo primeiro meses lunares.



Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/templo-de-kun-ian.html

WAT CHOM LOM - 04Fev2014 10:02:00

 WAT CHOM LOM



                                             Mosteiro principal do Wat Chom Lom



                                             Uma imagem invulgar do lord Buda





                                                         Memorial do Rei Rama V



            Um candeeiro bem original, como é já hábito em várias cidades da Tailândia





O articulista no Parque Memorial do Rei Rama V


Uma porta que dá acesso a um cais

                                                              Vista parcial do mosteiro

                                E mesmo ao lado encontra-se a Igreja Católica de Santa Ana


                          A imagem de Santa Ana é rotativa, no momento estava virada para o rio

Todos os mosteiro que o articulista visitou estão localizados jutno ao rio, assim como as igrejas de Santa Cruz, do Rosário, estas em Bangkok, bem como esta  de Santa Ana em Samut Sakhon, igreja esta que de seguida fomos visitar.


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/wat-chom-lom.html

WAT BAN YA PHRAEK - 04Fev2014 09:59:00

SAMUT SAKHORN  - WAT BAN YA PHRAEK

O articulista defronte do mosteiro e junto a uma exótica placa de rua, é de salientar que este local chamado Phra Pradaeng, uma zona de pescadores

O mosteiro em sim, mas estava encerrado, havia sim vários pavilhões com muitas imagens e um deles estava repleto de fiéis birmaneses, que ali almoçavam


Uma imagem do deus erawan, bizarra diga-se de passagem, segundo os costumes os fiés para se purificarem devem passar por debaixo da barriga do elefante










                                    O monge superior do mosteiro, abençoando alguns fiéis

                      Vários fiéis, provavelmente de origem birmanesa, orando


                    Imagens de monges famosos nas quais lhe é coladas folhas de ouro


                     Um dos altares, neste pavilhão, não templo, pois o mesmo estava encerrado


Muitas eram as figuras como esta, bem vestida com um tocador ao lado e imensos vestidos, tudo oferta dos fiéis


                      Vestidos ofertados aos deuses, em agradecimento pelo desejos realizados




                                                   A esposa do articulista orando


                                        Uma outra zona do pavilhão mosteiro.

As filhas do articulista ficaram na viatura, e como em quase todos os mosteiros que visitamos elas ficaram igualmente na viatura.

Eram quase 15.30 horas, e pensando onde iriamos almoçar e a pedido da filha Sansanne regressamos à cidade e fomos almoçar no mesmo restaurante do dia anterior.





As ruas desta pequena vila, apresentava à porta de seus moradores este vasos bem giros, em forma de barco


Uma da estrada da aldeia com seus candeeiros em forma de barco




Encontramos esta placa indicativa de vários mosteiros, mosteiros esses já por nós visitados anteriormente


Seguimos para Mahachai não parando mais a não ser no resturante já a barriga estava a dar horas


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2014/02/wat-ban-ya-phraek.html

UMA OFERTA DE DHAMMA - 14Dez2013 02:14:00






A Tailândia foi abençoada com um grande número de impecáveis e profudamente sábios Mestres de meditação.
 
Entre eles um dos mais conceituados foi o Venerável AJAHN CHAH, nascido em 1918 num comunidade rural no Nordeste da Tailândia. Aos 20 anos de idade, tomou ordenação como monje, tendo posteriormente estudado e praticado meditação em diversos mosteiros remotos, com alguns dos mais imponentes Mestres da sua era, antes de estabelecer o seu próprio mosteiro numa floresta perto da cidade de Ubon. A sua popularidade cresceu rápidamente e hoje existem mais de 300 mosteiros em florestas, que seguem os seus ensinamentos e exemplo de vida como fonte de inspiração. Até a sua morte em 1992, ele conduziu e treinou inúmeros disciplos nso modos austeros, simples e pacíficos do próprio Buda.
 
O estilo simples mas profundo dos ensinamentos de Ajahn Chah, têm atraído um número crescente de ocidentais. Em 1975 foi criado Wat Pah Nanachit, mosteiro sucursal de Wat Fah Pong, com o objectivo de treinar ocidentais interessados em seguir a vida monástica.
 
Presentemente existem sucursais na Inglaterra, Estados Unidos, Itália, Suiça, Austrália e Nova Zelândia.
 
A sabedoria é um modo de vida e de ser, Ajahn Chah esforóu-se para preservar o estilo simples da vida monástica, para que todos possam ainda hoje estudar e praticar o Dhamma. 








 

 







                                                    O articulista de visita ao templo

Wat Nong Pah Pong (Wat Pah Pong, Thai: ??? ???? ??? ??) é o principal mosteiro da Thai Floresta Tradição de meditação do  Venerável Ajahn Chah. O mosteiro fica na província de Ubon Ratchathani, distrito de (Amphoe) Warin Chamrap.
 





O Wat Pah Nanachat é um mosteiro budista que se situa em Ban Bung Wai, Warin Chamrab, na provincia de Ubon Ratchathani na Floresta Tradicional Theravada. Foi estabelecido pelo Venerável Ajahn Chah, pra que fieis estrangeiros tivessem a oportunidade de treinar e praticar o budismo, tal como o Lord Buda ensinou aos discipulos, nas florestas à 2 600 anos.

História
O mosteiro foi fundado em resposta a muita procura e interesse por parte de estrangeiros, principamente de ingleses, intressados na prática tradicional theravadin, praticada na Tailândia. O primeiro monje estrangeiro formado no mosteiro Wat Pah Nanachat, e treinado pelo reverendo Ajahn Chah, foi o americano Ajahn Sumedho.

Nos dias de hoje e em consequência dos estudantes desta prática, foram criados em todo o mundo, sobre a regia de Forest Sangha, vários mosteiros, sendo o maior deles e o Amaravit que se situa a 30 kms. a Norte da cidade de Londres.

 

Eram quase 18.30 horas quando o articulista chegou ao, mosteiro, de Wat Pah Nanachat, situado no meio de imenso arvoredo, a luz era escassa, e o articulita se deslocou ao pavilhão central onde se encontravam imensas monjas orando, num silencio total.
 
Teve a sorte de encontrar um monje de origem inglesa, ao qual informou a sua estada ali, tendo o mesmo respondido que naquele mosteiro não existiam livros em português. Mas, como o monje Ajahn Kavali tinha dito que deixaria os livros junto ao altar, o articulista não ficou desanimado, e por ali aguardou a chegada desse monje, mas, o condutor da viatura que servia o articulista, ao altar se deslocou trazendo um papelinho com o recado do dito monje.
Lá foi o articulista e recolheu os livros que o reverendo monje teve a amabilidade de oferecer, livros esses, um deles em língua portuguesa, pelo que lhe fiquei muito grato, embora o não tenha visto, lhe irei escrever a agradecer.
Condições para fazer se poder um retiro no Wat Pah Nanachat (The International Forest Monastery).
O Wat Pah Nanachat (The International Forest Monastery) está situado numa pequena floresta no nordeste da Tailândia, a cerca de quinze quilómetros da cidade de Ubon Rachathani. Em 1975, O Reverendo momje, Ajahn Chah, estabeleceu o mosteiro para oferecer uma formação tradicional comunitária monástica para estrangeiros. Hoje a comunidade monástica consiste de monges, noviços de uma grande variedade de nacionalidades. A língua inglesa serve como a principal língua de comunicação e de instrução.
Embora o Wat Pah Nanachat não seja um centro de meditação, existem facilidades para um número limitado de fiéis de ambos os sexos, para permanecer no mosteiro e praticarem com os residentes da comunidade monástica.
Todas as pessoas que entrarem neste retiro são obrigadas a seguir a rotina diária do mosteiro e participarem em todas as reuniões comunitárias e actividades de trabalho. De acordo com o ambiente monástico, a ênfase é colocada em prática em matéria de cooperação, auto-sacrifício e da harmonia comunal. A formação destina-se a seguir o Dhamma-Vinaya, os ensinamentos e código de disciplina monástica tal como previsto pelo Buda, respeitando à letra o seu espírito.
A vida monástica incentiva o desenvolvimento da simplicidade, a renúncia e o silêncio.
É um compromisso deliberado para este modo de vida que cria um ambiente de comunidade onde pessoas de diversas origens, personalidades e temperamentos podem cooperar no esforço para a prática e perceber o caminho do Buda para a libertação.
Em geral os fiéis, noviços, passam algumas horas do dia estudando e praticando a meditação, fazendo uma retroespectica sobre si mesmos. Para poderem tirar melhor partido da situação, espera-se que esses fiéis tenham experiências de meditação anterior e exposição aos ensinamentos budistas.
A rotina diária é a seguinte:


Pelas 03.30 horas Reunião: Cânticos e Meditação, saindo depois do mosteiro para aldeias vizinhas solicitando esmolas, ou dádiva às almas. Regressados ao mosteiro ajudam na sua conservação varrendo todos os locais e dando uma ajuda na cozinha.

Pelas 08.00 horas tomam a sua única refeição do dia.

Pelas 09:00 horas entram no período de neditação, Chores.

As 14.oo horas reunem-se em grupos e praticam a meditação por cerca de uma hora.

Pelas 16.30 horas e altura de tomarem algumas bebidas.
O calendário pode ser completado por períodos de prática de grupo, trabalho comunal ou instruções Dhamma de acordo com as necessidades da comunidade.
Após a refeição do monje principal um monge sênior está disponível para receber os internados e responder a suas perguntas.
Uma vez por semana no Phra Wan (Dia Sagrado), a comunidade observa uma vigília nocturna, durante o qual existe a oportunidade de discutir aspectos da prática do Dhamma com um dos monges seniores.
.Os Cinco Preceitos de Formação

Inocuidade: abster-se de tirar intencionalmente a vida de qualquer criatura viva.

Confiabilidade: abster-se de qualquer coisa que não é dada.

Castidade: abster-se de toda a actividade sexual.

Direito de falar: abster-se de dizer falsidades, usar línguagem grosseira, mal intencionada, desarmoniosas o de fofocas.

Sobriedade: abstinêcia de bebidas alcoólicas ou drogas; é proibido fumar em todos os momentos, no mosteiro.

Os Três Renúncia Preceitos
Que se abstenham de comer depois do meio-dia. A prática mosteiro é comer uma refeição por dia.
Isso liberta tempo para a meditação e aumenta a simplicidade de vida.
Para evitar a utilização de aparelhos de entretenimento, como música, dança, jogos, e embelezamento ou adornar o corpo com jóias ou maquiagem.
Isso auxilia na concentração para o interior da mente a atenção para o Dhamma.
Abster-se de usar camas elevadas ou luxuosos. Este desenvolve as qualidades de vigília, atenção e consciência clara em todas as posturas e em todas as actividades durante todo o dia.
Em suma, estes preceitos de formação são as orientações para a boa conduta do corpo e na fala e fornecem uma base necessária para o desenvolvimento da atenção, compreensão clara e meditação em nosso esforço para cultivar o Nobre Caminho Óctuplo.
Os preceitos servem para promover a harmonia dentro da comunidade através da contenção da fala insalubre e de acção. Estes princípios fundamentais da formação é a de cultivar a auto-disciplina necessária para o desenvolvimento espiritual e é tomado como um acto de escolha pessoal e deliberada iniciativa. Em relação à instrução de meditação, ao invés de apenas utilizar uma técnica particular, visa esta prática incluir todos os aspectos da vida diária, porém simples e comuns, como oportunidades para se desenvolver a atenção e as qualidades espirituais, tais como esforço diligente, alegria, contentamento, paciência e fé.
Com o tempo, as qualidades virtuosas vão crescendo com o treinamento, fazendo reunir forças e contribuir para a paz profunda e concentração, a visão e o crescimento da sabedoria libertadora.
Qualquer pessoa que pretenda entrar e permanecer no mosteiro deve escrever com antecedência, para o monge responsável com a devida antecedência.
 
Quanto mais cedo o fizer maiores serao as hipoteses de ser aceite, visto que, o espaco para alem de ser limitado, so sao aceites um determinado numeros de fiéis.
Os fiéis que pretendam fazer este retiro, são admitidos inicialmente por três dias. Se depois desejarem ficar mais tempo, devem consultar o monge principal.
A melhor altura para se chegar ao mosteiro é antes das 08.00 horas, a fim de tomar parte na refeição e reunião com o monge principal.
Os homens usam soltos brancos e calças compridas, com uma camisa branca, e às mulheres são emprestadas uma blusa branca e saia preta longa.
Os homens que pretendam prolongar a sua estadia, além de três dias são convidados a raspar a cabeça. Os que pretendem fazer o retiro devem ser pessoas saudaveis, com boa forma fisica, possuir um seguro de saúde bem como um seguro de viagem.
Não existe malária no mosteiro de Wat Pah Nanachat. O mosteiro dispõe de camas com redes mosquiteiras, aos fiéis deverão levar consigo sandálias, velas, lanterna, sabão, um relógio despertador e produtos de higiéne.
A alimentação essa é ofertada à comunidade do mosteiro todas as manhãs pelos fiéis residente nas zonas adjacentes ao mosteiro.
Devido à tradição renunciante de aceitar tudo o que lhes é oferecido, o mosteiro é incapaz de organizar dietas especiais para os fiéis residentes.
A própria existência do Wat Pah Nanachat deve-se à fé e boa vontade do povo tailandês. A sociedade rural do nordeste da Tailândia é culturalmente conservadora e mantém ainda seus valores tradicionais.
Os fiéis residentes são convidados, para agradar e a respeitarem e serem sensíveis a essas tradições locais, estando atentos à roupa adequada e ao seu comportamento.
Como a comunidade é totalmente dependente de doações, a permanência no Wat Pah Nanachat, é gratuita.
Durante os meses de Março e Abril, a comunidade de monges em retiro vai para a província de Kanchanaburi. Por essa altura os fiéis. noviços, internados, deixam igualmente o mosteiro. Além disso, o Wat Pah Nanachat recebe um grande número de visitantes durante os meses de Janeiro, até 15 e 16 de Junho.
As acomodações são susceptíveis de serem totalmente ocupadas por essa altura, o que leva a muitos fiéis a não poderem permanecer durante a noite no mosteiro.
 
Aos jovens fiéis budista é aconselhado a fazerem um retiro de iniciação ao budismo antes de irem para o Wat Pah Nanachat, visto este mosteiro não estar direcionado para o ensino de iniciantes. Fazendo um retiro de meditação budista é como fazer uma fundação, que pode ser construída durante a estadia no Wat Pah Nanachat.
Um retiro de meditação tipico para iniciantes dura cerca de 10 dias. Alguns bons lugares para fazer um retiro de meditação na Tailândia são os seguintes:

Wat Suan Mokkh (Chaiya, Surat Thani 84110). O ensino a meditação é no estilo de Ajahn Buddhadasa.

Wat Khao Tham (Ko Pha-Ngan, Surat Thani 84280). Professores: Steve e Rosemary Weismann.
Vipassana Centre (200 Baan Nerrnpasuk, Tambon Dongkeelek, Ampher Meuang, Prachinburi 25000 Tel / fax: 037-403515). 10 dias usando a técnica de meditação de SN Goenka. Email: sutthi@ksc.th.com Email: sutthi@ksc.th.com
Sorn-Thawee Meditation Centre (Bangkla, Chasoengsao 24110. Tel: 038-541405). O ensino de meditação aqui é baseado na técnica de Mahasi Sayadaw. Visitantes aqui são encorajados a fazer um retiro de 20 dias.

Wat Ram Poeng (Tambon Suthep, Ampher Meuang, Chiang Mai 5000. Tel: 053-278620). O ensino de meditação aqui é baseado na técnica de Mahasi Sayadaw. Os retiros podem ser de 10 a 26 dias dependendo do tempo disponivel e vontade dos fieis.
«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««
O articulista já teve esta experiência em dois mosteiros, no norte da Tailandia, por um lado é salutar, por outro lado, e devido a todas essas restrições e fraca alimentação, não é fácil a qualquer pessoa comum sujeitar-se a essas rígidas normas.
 


 
O articulista visitou este mosteiro no dia 5 de fevereiro de 2010

 



Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/12/uma-oferta-de-dhamma.html


WAT PA SAWANG BUN - SARA BURI - 18Fev2013 10:54:00






No templo Wat Pa Sawang Bun, podem ver-se os belos 500 Chedi ou pagodes que foram construídos no estilo de Sri Lanka e da Índia. Foram construídos por Luang Por Somchai com a preciosa ajuda dos habitantes de Saraburi e todas as regiões da Tailândia.

Este templo foi erguido em 2528 B.E (ano de 1985 no calendário gregoriano). por Luang Por Bunrod Punnamano e possui uma área de 400 rai. É um lugar calmo, que é adequado para a prática de meditação muito e por trás das fronteiras do templo com a encosta que é a atmosfera muito agradável.





Chedi é o termo usado pelos tailandeses para designar Stupa




Uma estupa, também chamada chaitya, chedi, pagode e dágaba, é um tipo de monumento ou parte de um templo, construído em forma de torre, geralmente cónica, circundada por uma abóbada e, por vezes, com um ou vários chanttras




A stupa (do sânscrito:. M, ?????, Stupa, cingaleses: ??????, P?li: ??? "th?pa", que literalmente significa "pilha") é uma estrutura de monte contendo relíquias budistas, tipicamente as cinzas de defuntos, utilizados pelos budistas como um lugar de meditação. Stupas são uma antiga forma de mandala.




Stupas originou como pré-budistas túmulos de barro, em que ascetas foram enterrados em uma posição sentada, chamado chaitya . Após o parinirvana do Buda, os seus restos mortais foram cremados e as cinzas divididas e enterradas sob oito montes com dois montes mais Encerrando a urna e as brasas. Pouco se sabe sobre estes primeiros stupas, especialmente uma vez que não foi possível identificar os originais 10 monumentos. No entanto, alguns stupas posteriores, como em Sarnath e Sanchi, parecem ser enfeites de montes anteriores.







 













                                                                  A cúpula do chedi


Defronte deste vistoso e enorme chedi com seus 500 pequenos chedis, situa-se o mosteiro antigo










                     Na parte montanhosa encontra-se um outro mosteiro, este provisório



                        Estando sendo construída a maior imagem do Lord Buda deitado

                           A visita a este templo teve lugar no dia 20 de janeiro de 2013





Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/02/wat-pa-sawang-bun-sara-buri.html

WAT LUANG PHOR YAI - 18Fev2013 10:25:00


Este pequeno e vistoso Wat, templo, situa-se à beira da estrada que liga Sara Buri a Nakhon Ratchasima, muitas vezes o articulista tinha passado no local e visto a enorme imagem do monje Luang Pho, mas só no dia 21 de janeiro, de regresso a Bangkok, parou parta o visitar.





                                                      A esposa do articulista orando








Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/02/wat-luang-phor-yai.html

WAT SIKKIU LUANG PHOR - NAKHON RATCHASIMA - 18Fev2013 09:54:00




O mosteiro Wat Sikkio Luang Pho  foi mandado  construír por ator de cinema famoso. Localizado ao longo da Estrada da Amizade. Distrito Sikhio. 45 km de distância da cidade. 




 Este é o maior templo em Nakhon Ratchasime delicado a um dos monges mais famoso e amado.

 que viveu no Período Rattanakosin, Phra Somdej Toh Buddhacharn Phomarangsi (1788 - 1872)

O templo consagrado a maior estátua Phra Somdej Toh na Tailândia e do projeto foi lançado edirigido por um famoso ator tanilândes, Sorapong Chatree. Tendo ganhou fama e fortuna, ele contribuiu com o seu dinheiro para construir este templo magnífico.






Luang Por (tailandês: Pai: Luang Pho,  significa "pai venerável" e é usado como um título dado aos monges seniores budistas.
 Luang é um tailandês significado da palavra "real" ou "venerável" Ela é usada tanto no contexto familiar... e para expressar respeito por monges. Por é a palavra tailandesa para "pai".


O articulista a primeira vez que visitou este enorme e lindissimo tempo e seus enormes e floridos jardins, ainda a sua constru;ao se encontrava em curso.


Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/02/wat-sikkiu-luang-phor-nakhon-ratchasima.html

WAT PAKNAM BHASICHAROEN - BANGKOK - 18Fev2013 09:08:00


Wat Paknam Bhasicharoen (também conhecido por Pak Nam Phasi Charoen, tailandês: ??? ?????? ?????????) localiza-se na Road Toed Thai, no distrito de Phasi Charoen, Thonburi, é um wat, mosteiro, muito grande com uma população considerável de monges e monjas, entre eles muitos estrangeiros. 
O templo é talvez mais conhecido por suas aulas de meditação.





Foi este novo e lindo templo que o articulista hoje foi visitar com sua esposa e uma das suas filhas.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 





 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



 
 
 
 



Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/02/wat-paknam-bhasicharoen-bangkok.html

WAT KUN CHAN - THOMBURI - BANGKOK - 18Fev2013 08:58:00


No dia 30 de janeiro o articulista e sua esposa se deslocaram até Thonburi onde foram visitar dois templos budistas, este Wat Kun Chan é majestoso e lindo de ser visto


HISTORY
Works great ruler possessed the great Amartya (citadel of Amatayakul) is the second son of the royal treasure Museum (TCM).

As the eldest son. Which the Lord the King the title of pasha eating.
Born Year of the Ox. H.s. 1143 (BE 2324) in the reign of King Taksin.
When a child grow up to marry Miss Luang properties (J. sleazy Falcon) and a small school.
The house, which is located on the west bank of the Chao Phraya River, the temple bell. Thonburi province.

Lord Pasha. (Fort) was a servant in the land of King entrusting skyline.
Later in the reign of King Nang Klao Chao Yu Hua. Be ordered. The captains and above.
Chao joined forces Supawadee. Strike force walled city Mon Vientiane is the force in the year 2370.
After the war the city Vientiane. So I built up the land in Klong Bang Luang Garden.
About the year 2381 and named Wat Khun Mon Khlong Bang Luang temple turned into a temple.
The fruit, which is the only time I cut through.

Lord Pasha (fort) with a lady with a child is a class 4 is 8.

One. Female named Bush.
Two. Persimmon after a man named Lord Trrmsar Laws Wichita loyalty.

3. A man named Sundiata was later Lord Indra Works Committee.

4. A similar name, but died young.

Five. Boys name U edged ruler after the Council. The governor of the city of London.

6. Boys name is the hard mode, the present study Koson.

7. A man named after a Tartar prince Trrmsar Laws Museum loyalty.

8. A woman named Sara Wan, a Dame Integrated Care Support Rutter. He later became Dame Kandal. In the land of King Rama V.

When Lord Pasha (fort) to demise at the age of 68 years (AD 2391).
About 35 years later, the temple has deteriorated very fattening Monday.
Youngest son served in Wanghlwg Rama V and King Rama 5.
The product has a maid at the compound. Have been used to close the Iuclbat.
A memorial to his father, the grace restored the finishing order to better Monday.
I told His Majesty King Rama V clemency.
A measure and is intended to be dedicated to Luang. He graciously. Given a new name by the sacred.
The author's name and the name of a new measure that is restoration together. "The product that I can access Rama Rama Ram".
The book of evidence graciously bestowed the name on the year 2426.
It appears in this book. Locals call this measure. "Monday is Johnny Appleseed".

Continue until this day. You Thao's chemical products. The full title of the original. Sara Watkins products Dame's support. From the reign of the fourth.
After being given the name does not appear that it was a Monday Wat Khun Luang chemical compound Thao's Act 2430.
It was given the title of Dame is the Kandal.
Introduced a duty for the parties. King Rama 5.
Thao has Kandal (L.) death did not appear to have any one person in the family Amatayakul.
This temple was renovated. Subsequently remained until the reign of the seventh.
The restoration has continued. Wise to include pop ups and Tuesday the completion of the cremation ceremony then.
The Chapel was packed Monday as day finishing around 2477.


You Higmligm the Amatayakul (6) Children under attractive accessory power (Aim 5).

History, finishing Monday to hear the ferry down to the river.
Very poor condition, so I brought up the discussion with some familiar Thera adult body.
One monk had broken my right. This then temple at Wat Tong Pu.
(Wat Chana Songkhram, Bangkok Banglumpoo) you Higmligm Viravaidya (the Amatayakul 6th).
A pioneer in the restoration of the temple in the reign of the seventh Monday titled "Grand Hall Pho" very poor.

When World War 2 was blown into the front of the temple. A large Bodhi tree.
The blast caused the collapse of the temple walls. Broken bricks everywhere.

Dean called "The Royal" Grand Hall Pho is a temporary roof.
Luang Pho Khun temple with a priest from the first Monday. Was left in the sun, the rain, no roof.
The tin roof is made by you and Veera Viravaidya.

The Chinese people and the restoration of the temple are believed to be about 2,506.

Currency in Amatayakul the ceremony for the first time about one hundred Year 2532.
The Foundation Amatayakul and relatives in the genus Amatayakul ceremony was about one hundred years, 2533.

Can my family's Amatayakul Foundation is leading discussions with lapses in Amatayakul (7).
The service department in the ministry as Her Royal Highness the Princess. Her Royal Highness Princess and the.

To bring up respectfully King Maha Chakri Sirindhorn's. HRH Princess Maha Chakri Sirindhorn.
The invitation came as President presented the Kathina cloth. Saturday, October 13, 2533 Period 150 years ago.

Donated land to build a school, a 2-storey building.
The current elementary school. Students from grade 1 to grade 6.
Unfortunately, the details of finishing late Monday in the reign of King Rama 5 and 6 are missing.

The current abbot. Renovation, construction develop artifacts.
The temple. Jedi Temple courtyard. Sala charitable. And buildings.
Deteriorated to. Faith through the Sacrament of contributing factors.
Both in Thailand and abroad, to acquire a cult following.
This past Wat Khun Mon
 
 






































2 comentários:


Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...
Caro amigo António Cambeta!
Que deleite se deparar com este encantador Mosteiro!
Caloroso abraço! Saudações sacras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

30 de janeiro de 2013 23:46

Pedro Coimbra disse...
Amigo Cambeta,
Isto jé é um roteiro turístico!
Invejazinha da boa :)))
Aquele abraço
31 de janeiro de 2013 11:53






Fonte: http://mosteirosbudistas.blogspot.com/2013/02/wat-kun-chan-thomburi-bangkok.html

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Anedotas
O que diz a chaminé grande para a chaminé pequena:
- Ainda és muito nova para fumar.
Sondagens
"CHAN RAK KUN" é Amor em?
Marroquino
Albanês
Tailandês
Russo
Chinês
Indiano
Hungaro
Vietnamita
Timorense
Hebraico
Ibernise
JSL

rodinha26
Galeria
©2018, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional