Henrique Pedro

50 Sonetos de Amor (XXV Flor de dor) - 17Out2018 00:35:00



XXV
Flor de dor

A essa rosa ultriz e malvada
Que infeliz agora se finou
Embora fosse flor e perfumada
Foi o seu sorriso que a matou

Rosa rara, falsa, aculeada
Que a si própria se enganou
A todos dizia que os amava
Mas nunca a ninguém ela amou

Era ruim, sim, só erva daninha
Que até picos nas pétalas tinha.
Seria bela, mas era má flor!

Uma rosa danosa, flor de dor.
Não sabia o que era amor.
Murchou abandonada, sim. Sozinha!

Vale de Salgueiro, sábado, 14 de Fevereiro de 2009
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xxv-flor-de-dor.html

50 Sonetos de Amor (XXIV Mulheres) - 16Out2018 19:40:00



XXIV

Mulheres


Muito mais desiguais entre elas
Que os próprios homens entre si
São as mulheres com quem convivi
Para lá de sensuais ou de belas

Mas reconheço que qualquer delas
Quando canta, chora ou sorri
E tantas mulheres eu conheci
Irradia mais luz do que mil velas

Umas fazem-me boa companhia 
Outras apenas me divertem, sim
A todas quero bem, ainda assim

Mas, a mulher mais mulher para mim
É a mãe que sofre, ama e cria
Pura imagem da Virgem Maria

Vale de Salgueiro, sexta-feira, 12 de Setembro de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xxiv-mulheres_16.html

50 Sonetos de Amor (XXXIII Um amor por Estação) - 15Out2018 21:57:00



XXXIII
Um amor por Estação

Tão pródiga é a nossa Mãe Natureza
Que em cada época a todos avia
Com flores e frutos da maior beleza
Que enchem as nossas vidas com alegria

Mas se houvesse uma maior justeza
O homem viveria com mais harmonia
Se tivesse essas benesses, com certeza
E amor mais ajustado por companhia

Uma mulher diferente por Estação
De corpo e alma adaptada ao clima
Sendo leve, fresca, airosa no Verão

Com a Primavera, a romântica rima
No Outono mais convém dar paz à paixão
Já no Inverno, a fogosa, mais anima

Vale de Salgueiro, sábado, 10 de Agosto de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xxxiii-um-amor-por.html

50 Sonetos de Amor (XXII A mulher simplesmente) - 14Out2018 00:19:00



XXII

A mulher simplesmente


Não é só no parto, esse acto sublime
Que exalta a vida, a mulher, a mãe
Ela estará sempre presente, também
Se preciso for que alguém o homem anime

É a mulher quem a vida melhor exprime
Para mal do homem ou para o seu bem
Sempre alguma mulher melhor lhe convém
Por amor ou rancor o perde ou redime

Simplesmente amiga ou mera amante
Esposa que seja ou simples companheira
Sempre a mulher tem papel preponderante

Para dar melhor vida à vida inteira
Embora estando próxima ou distante
É sempre a mulher que vai na dianteira


Vale de Salgueiro, terça-feira, 16 de Setembro de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xxii-mulher.html

50 Sonetos de Amor (XXI Amor-dor de mãe) - 12Out2018 15:53:00



XXI
O amor-dor de mãe


Com beijos do nosso pai e da nossa mãe 
No útero materno nós somos gerados 
E pelo desígnio divino abençoados.
Paridos com dor, porém, o amor nos mantém

Tudo do amor-dor de mãe, por bem, advém:
O bom leite com que somos amamentados
As lágrimas dos dias mais angustiados
A esperança de um dia sermos alguém

Do paraíso que é o mátrio seio
Jamais teríamos sido nós afastados
Se a Mãe de Deus estivesse de permeio

Nem o acto donde toda a dor adveio
O bom Criador o teria consumado
Acaso Eva já fosse mãe. Assim creio!

Vale de Salgueiro, 1 de Maio de 2008
Henrique Pedro






Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/xxi-doamor-dor-de-mae-combeijos-do_12.html

50 Sonetos de Amor (XX Rei Midas do Amor) - 11Out2018 14:41:00



XX
Rei Midas do Amor


Novo Midas gostaria de ser 
Poder em tudo quanto tocar
No mais fino dos oiros transmutar
Bastando, para tanto, meu querer

Começaria por dar de comer
A tantos que a fome faz penar
Jóias em pão ia transformar
E todo o mundo abastecer

Tudo convertia em alegria
À vida mais triste e sem sabor
Nova vontade de viver daria

Mitigar a mais dolorosa dor
A todos nos deu, Deus, essa magia
Basta em tudo tocar com Amor

Vale de Salgueiro, sábado, 23 de Agosto de 2008
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xx-rei-midas-do-amor.html

50 Sonetos de Amor (XIX Sempre noiva, eterna menina) - 10Out2018 18:03:00



XIX
Sempre noiva, eterna menina


De tão formosa parece divina
Sempre noiva, radiosa rainha
Tantos são, sim, os seus apaixonados
Tão belos os príncipes encantados!

Não saber quem amar é sua sina
Que dela faz a eterna menina
Actriz de mil noivados adiados
Fautriz de muitos mais sonhos frustrados.

Seus amores são pungentes poemas
Ardentes diademas de dilemas:
Optar por um deita mil a perder!

Lindo sonho de amar e sofrer
É, assim, seu viver até morrer
Vida de mil amores e mil penas

Vale de Salgueiro, terça-feira, 12 de Outubro de 2010
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xix-sempre-noiva.html

50 Sonetos de Amor (XVIII Loucuras de amor que não versejo) - 09Out2018 11:30:00




XVIII

Loucuras de amor que não versejo


Desnuda-se, serena e silenciosa
Recobrindo-se de diáfano fascínio
Contemplo-a, impaciente, por desígnio
Certo de que se entregará, pressurosa

Depois, é deliciada e deliciosa
Sorrindo, cúmplice do meu raciocínio
Que me leva a perder o autodomínio
Bela, sensual, permissiva, amorosa

Tomo-lhe o corpo, que afago e beijo
Faz-me o mesmo com gritos de alegria
Entrelaçados de prazer e de desejo

Entontecidos pela mesma afrodisia
Caímos em loucuras que eu não versejo.
Descrevê-las, sim, seria pornografia!


Vale de Salgueiro, 14 de Maio de 2008
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xviii-loucuras-de.html

50 Sonetos de Amor (XVII Com amor, barro e poesia) - 07Out2018 22:03:00



XVII
Com amor, barro e poesia

Do barro bruto o Criador criou o homem
Soprando-lhe amor sagrado e poesia
Para divina recreação e alegria
Esquecendo as dores que os mortais consomem

Porém, tais graças com a poesia eclodem
Que o barro tosco que Deus soprou, ganhou vida
Animou Adão e fez Eva enriquecida
Dos supremos deleites que na Terra ocorrem

Ao barro, porém, nosso corpo retornará
Finando-se dores e prazeres com a morte
Só a mais pura poesia se salvará

Para se livrar da matéria e má sorte
O homem, com poesia, a Deus louvará
Amando como Deus manda, Eva, sua consorte

Vale de Salgueiro, 17 de Abril de 2008
Henrique Pedro





Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xvii-com-amor-barro.html

50 Sonetos de Amor ( XVI Transmontana paixão) - 06Out2018 19:47:00



XVI

Transmontana paixão

Na mais alta e fria, serrania transmontana
Apascenta, indefesa, o seu dócil rebanho,
Uma linda e sedutora pastora serrana
Cuja pureza, porém, é puro, doce, engano.

Será santa, sim, para o bom povo, puritano!
Para mim, é pura pecadora, não me engana,
Não fora eu o seu amado poeta insano
Que ela, por amor, recebe na sua cabana.

Que calcorreia toda a montanha atrás dela,
De língua de fora como o mais fero lobo,
Que não quer o rebanho porque só a quer a ela.

É só pelos seus beijos doces que eu me afobo,
E a ela, com os meus, açobo, qual gazela
Tanto que à serra, a nossa paixão, pega fogo.


Vale de Salgueiro, domingo, 12 de Setembro de 2010
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xvi-transmontana.html

50 Sonetos de Amor (XV Só bem entende quem bem sabe amar) - 05Out2018 12:50:00



XV
Só bem entende quem bem sabe amar


Eu ando a sonhar, sem acordar
E é de mil sonhos que me sustento
Com a voz do vento, todo o tempo
Nunca paro de por ela chamar

Assim levado nas asas do vento
O meu amor é um triste lamento
Perde-se nas ondas do alto mar
Só entende quem bem sabe amar

Mas ela porfia de mim fugir
Apenas porque não me tem amor
E assim sendo, nem me quer ouvir

Ainda assim canto minha dor
Para a mim mesmo me iludir
Com poemas tristes em seu louvor


Vale de Salgueiro, segunda-feira, 13 de Setembro de 2010
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/0-sonetos-de-amor-so-bem-entende-quem.html

50 Sonetos de Amor ( XIV Amor Platónico) - 03Out2018 11:27:00



XIV

Amor platónico

Trago meu pobre coração a arder
É tão triste a minha condição
Tão abrasadora é esta paixão
Que o desfecho não posso prever

A essa mulher não passo sem ver
Embora forçado pela Razão
A conter-me e a dizer que não
Senão, tudo deitarei a perder

Mas ela, com sorrisos e perfume
Com seu doce jeito de me olhar
Mais não faz que atear mais o lume

Apaixonado, já não sei parar
Como sair deste amor incólume
Sem queixume, sem dor, sem me queimar

Vale de Salgueiro, sábado, 19 de Julho de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xiv-amor-platonico_3.html

50 Sonetos de Amor (XIII Paixão) - 02Out2018 11:39:00



XIII

Paixão

Paixão é pulsão pulsante, é atração
É o fruto da sedução e do cortejo
É a chispa radiante dalgum desejo
É uma brasa acesa no coração

Que acaba por virar em negro carvão
Quando com triste e dorido arpejo
Porque o amor não logrou o seu ensejo
Se apaga sem apelo nem compaixão

Se o puro amor a alma não abrasa
Deixa o coração de ser uma fornalha
E de pronto a paixão perde sua asa

Estiola e arde como simples palha
E o tição que aceso foi rubra brasa
Acaba em cinza que o vento espalha


Vale de Salgueiro, segunda-feira, 1 de Novembro de 2010
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xiii-paixao.html

50 Sonetos de Amor (XII O verbo amar) - 01Out2018 11:42:00



XII

O verbo amar


Basta só o verbo ?amar?, somente
Palavra, beijo, desejo, mimar
Para criar mil versos de encantar
E manifestar quanto se sente

A quem se ama, estando presente
Para o nosso amor demonstrar
Basta o verbo ?amar? conjugar
Também para quem estiver ausente

Seja erudito ou iletrado
É poeta quem escreve ou diz
Formas do verbo ?amar? conjugado

Mesmo se alguém se sente infeliz
Porque muito ama sem ser amado
Até com a dor o amor condiz


Vale de Salgueiro, sexta-feira, 15 de Agosto de 2008
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/10/50-sonetos-de-amor-xii-o-verbo-amar.html

50 Sonetos de Amor (XI Uma deusa dormindo) - 29Set2018 22:54:00




XI

Uma deusa dormindo


Enlevado, acordo de madrugada
Com a minha amada ainda dormindo
Em nosso tálamo de amor reclinada
Como uma deusa no sono sorrindo

Tão feliz, que decido não a acordar
Optando por ficar em fiel vigília
A inalar o doce odor de tília
Que o seu respirar exala no ar

Depois, quando, por fim, desperta ela
Finjo agora eu ainda dormir
Embora já o Sol ria à janela

Ela beija-me, sem parar, a sorrir
Sempre cada vez mais meiga e mais bela
Até que eu, sem mais, deixo de fingir


Vale de Salgueiro, sexta-feira, 26 de Março de 2010
Henrique Pedro





Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-xi-uma-deusa-dormindo.html

50 Sonetos de Amor (X Fado do mal amado) - 28Set2018 15:07:00



X

Fado do mal amado


Nunca houve outro amor assim
Uma tão cruel paixão entontece
Entrega tão pura ninguém merece
Nem sendo a mulher um querubim

Agora choro lágrimas sem fim
Meu pranto ao longe se esmorece
Como uma mal sucedida prece
Que amargamente se vai de mim

A fada cruel quebrou o encanto
Para sempre seu coração calou
Esta é a razão deste meu pranto

Mas a vil paixão de mim não voou
Por isso cantar este triste canto
É fado amargo que me tocou


Chaves, 8 de Março de 1966
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-fado-do-mal-amado.html

50 Sonetos de Amor ( IX Coisas que me dizes sem querer) - 27Set2018 20:13:00




IX
Coisas que me dizes sem querer

Dizes-me coisas que nada me dizem
Coisas que a mim me fazem sofrer
Coisas que tu não dizes por dizer
Coisas que a ti só te contradizem

Coisas que tu me dizes sem querer
Coisas que os teus olhos bem desdizem
Coisas que contigo não se condizem
Coisas que tu dizes, mas a doer

Coisas que a ti dizes sem saber
Coisas p`ra que meus olhos ajuízem
Coisas de bem-querer, é bom de ver

Coisas e sorrisos a desdizer
Coisas que de ti mesma tão bem dizem
Coisas e coisas só p`ra me prender


Vale de Salgueiro, terça-feira, 12 de Junho de 2012
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-poemas-de-amor-ix-coisas-que-me.html

50 Sonetos de Amor ( VIII O Amor) - 26Set2018 18:38:00





VIII
 O Amor

(Decassílabo)

A todos nós nos é dado saber
E sentir aquilo que é amor
Porque é o contrário da dor
E parte vital do nosso viver

Melhor seria, sim, ninguém sofrer
Sempre sentir do amor o calor
Sem que houvesse dor ao seu redor
Vivendo apenas puro prazer

Porém, muito poucos sabem amar
E só porque não sabem bem-fazer
Acabam por o amor aviltar

Amar com o mais puro sentimento
Sem a si próprio se enganar
É pura fonte de conhecimento


(Heptassílabo ou redondilha maior)

É-nos dado, sim, saber
E sentir que o amor
É o oposto da dor
Vital no nosso viver

Seria bom, não sofrer
Sentir do amor calor
Sem haver dor ao redor

Viver só puro prazer
Não sabermos bem amar
Nem sabermos bem-fazer
É o amor aviltar

No sentir do sentimento
Ninguém se pode enganar
É puro conhecimento


Vale de Salgueiro, domingo, 7 de Novembro de 2010
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/blog-post.html

50 Sonetos de Amor (VII Bem me queres, mal me queres) - 24Set2018 15:54:00




VII

Bem me queres, mal me queres



Tentas-me. Finges-te adormecida
Em leito florido de malmequeres
Bela, desnuda e oferecida 
Tal a loucura com que tu me queres

Deixa a minha alma entontecida
Essa arte das sensuais mulheres
Que amansa a fera mais temida
E faz dos homens santos, vis berberes

Mas por tanto também eu te querer
Decido, porém, não te acordar
Não vá, com o espanto, te perder

De pronto dizes sem pestanejar:
«Bem me quer quem assim só me não quer!
Toda a ti, amor, me quero dar!»


Vale de Salgueiro, 4 de Abril de 2008
Henrique Pedro


Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-vii-bem-me-queres.html

50 Sonetos de Amor ( VI Amor, Pó e Vento) - 23Set2018 13:07:00




VI

Amor, pó e vento


A mulher mais linda e sensual
Todo o homem que se entender
Por mais afamados que se quiser
Morrem como qualquer animal

Compostos orgânicos por igual
Acabam num monturo qualquer
Para em estrume se converter
Podres, putrefactos. A cheirar mal

Disfarçamos com perfume por fora
O pó e o vento que temos dentro
Corpos animados muito embora

Até que a morte toma assento
E a todos nos diz, aterradora: 
- Salva-se o Amor! Não o pó, nem o vento!


Vale de Salgueiro, quinta-feira, 28 de Agosto de 2008
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-vi-amor-po-e-vento.html

50 Poemas de Amor ( V Basta-me o teu olhar) - 21Set2018 22:55:00



V
Basta-me o teu olhar


Basta-me o teu olhar, sim, para começar
Que não me ignores, que não fujas de mim
Ainda que se de mim foges, inda assim
Mais esperanças me dás, de me vir a amar

Se eu te olho com olhos de encantar
É só porque te quero bem, sem outro fim.
Olha-me com olhos de quem está afim
Então, sim, ver-me-ás a rir e a cantar

Mas se teimas em fugir e a não me ver
Nem assim mesmo tu me farás desistir
Apenas aumentarás meu cruel sofrer

E se temes que eu esteja a mentir
Pára para me ver e melhor entender
Que o amor que sinto não é a fingir


Vale de Salgueiro, 15 de Maio de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-poemas-de-amor-v-basta-me-o-teu-olhar.html

50 Sonetos de Amor (IV O Juízo Original) - 20Set2018 15:23:00



IV
O Juízo Original

Contesto o Teu critério, ó Criador
De expulsar Adão e Eva do Paraíso!
Se foi Eva a causadora do prejuízo
Porque não expulsá-la só a ela, Senhor?!

Continuaria, assim, o homem, sem dor
A viver no Éden, em seu perfeito juízo
E a mulher na Terra, se eu bem ajuízo,
Mais feliz do que é, sem o homem por tutor.

Ou será que Adão quis Eva acompanhar
Tão ardente era a loucura da paixão
Que nem Vós, Senhor, os conseguistes separar?!

Se assim foi, então, tendes toda a razão!
Só àqueles que aprenderem a bem amar
Vós abençoais e concedeis a Salvação.

Vale de Salgueiro, 17 de Maio de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-iv-o-juizo-original.html

50 Sonetos de Amor (III Amar e bem-querer) - 19Set2018 20:23:00




III
Amar e bem-querer

Ser capaz de amar e de bem-querer
Todo o ser humano é, sem condição
Não requer, sequer, esforço da Razão
Só predisposição para bem-fazer

Para todos os agravos esquecer
Abrir os braços e estender a mão
A quem nos ofende conceder perdão
Melhor é ter amigos até morrer!

Sempre dar com pura generosidade 
Amor a quem só tem dor e sofrimento
Ajudar sem interesse ou vaidade

E também a quem votamos sentimento
Darmo-nos por inteiro e com verdade
Sem esperar algum agradecimento


Vale de Salgueiro, segunda-feira, 4 de Agosto de 2008
Henrique Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-iii-amar-e-bem-querer.html

50 Sonetos de Amor (II Com flores e versos me iludia) - 17Set2018 22:19:00




II

Com flores e versos me iludia



Abri-lhe o coração de par em par
Sofrendo com o medo de a perder 
Por assim tanto e tão bem lhe querer
Sem saber como melhor a conquistar

Oferecia-lhe flores de sonhar
Poemas de amor e de bendizer
Aborrecia-a, porém, sem querer
Com minha forma, pura, de amar

Ela não gostava de poesia
Pelas flores não sentia afeição
Não a conquistava, antes a perdia

Só o brilho das jóias a movia
Lhe fascinava olhos e coração
Eu, com flores e versos me iludia


Vale de Salgueiro, 13 de Maio de 2008
Henrique Pedro




Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/50-sonetos-de-amor-e-afins-ii-com.html

50 Sonetos de Amor ( I Adão, Eva e o Vinho) - 16Set2018 22:35:00




I

Adão, Eva e o Vinho

Deu Deus, ao bom Adão, para o alegrar
A companheira Eva, um ser fascinante
E também vinho do Éden, inebriante
Que acabaram por Adão condenar

Porque por Eva se deixou apaixonar
Caindo na louca condição de amante
E ainda no Éden, já de Deus distante
Bebeu o vinho até se embriagar

Vida de homem é, por isso, provação 
Mas o vinho e a mulher doce agasalho
Que bem-amados lhe darão a salvação

Vinho com moderação, fora do trabalho
A mulher sempre contente e com paixão
Seja o homem criança ou já grisalho

Vale de Salgueiro, 18 de Maio de 2008
Henrique António Pedro



Fonte: https://henriquepedro.blogspot.com/2018/09/i-adao-eva-e-vinho.html

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Anedotas
Após o cliente se sentar confortavelmente no sofá, o psicólogo começa a consulta:
- Não estou por dentro do seu problema, diz o psicólogo, Portanto, talvez fosse melhor começarmos pelo princípio.
- Claro, responde o paciente. Bom....no início, criei os Céus e a Terra...
Sondagens
"CHAN RAK KUN" é Amor em?
Marroquino
Albanês
Tailandês
Russo
Chinês
Indiano
Hungaro
Vietnamita
Timorense
Hebraico
Ibernise
JSL

rodinha26
Galeria
©2018, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional