Henrique Pedro

Se porventura não existis, ó Deus! - 15Jan2018 21:50:00



Triste é morrer sem saber porque se viveu!

Se porventura não existis, ó Deus!
então eu Vos suplico:
- Criai-Vos!

Não deixeis a tarefa de Vos criar nas mãos dos homens
que apenas têm sabido imaginar diabos e mais diabos

(Quanto a mim
se algum dia tive tal veleidade
já a perdi
na verdade)

Porque compreendi a minha total incapacidade
para por ordem no Mundo
e para minimamente entender o Universo

Eu não passo de um pobre diabo,
Senhor!
Que não sabe o que é o bem e o mal
e que anda no mundo por ver andar os outros

E que agora humildemente Vos suplica
e se lamenta:
- Se acaso não existis, ó Deus, então criai-Vos!

Para que ao menos possamos acalentar a esperança
de um dia sermos felizes num qualquer lugar
e de compreendermos os mistérios que nos envolvem

A começar pelo estranho princípio que nos faz nascer
sem que ninguém nos diga com que fim
e morrer
sem que ninguém nos pergunte se tal desejamos
e não nos diga para onde vamos

Mas se acaso entenderdes que a Vossa existência não é relevante
então
mesmo assim
não permitais que sejam os homens a governar o Universo

Vede só, Senhor
o que os homens estão a fazer a si próprios
e à própria Terra que os sustenta

Ó Deus!
Se porventura não existis
eu Vos suplico:
- Criai-Vos!





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/se-porventura-nao-existis-o-deus.html

Bem me queres, mal me queres - 14Jan2018 22:44:00




Tentas-me. Finges-te adormecida
Em leito florido de malmequeres
Bela, desnuda e oferecida
Tal a loucura com que tu me queres

Deixas a minha alma entontecida
Com a arte das sensuais mulheres
Que amansa a fera mais temida
E faz dos homens santos, vis berberes

Mas por tanto também eu te querer
Decido, porém, não te acordar
Não vá, com o espanto, te perder

De pronto dizes sem pestanejar:
«Bem me quer quem só assim me não quer!
Toda a ti, amor, me quero dar!»




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/bem-me-queres-mal-me-queres.html

A que horas é o funeral? - 13Jan2018 21:14:00




Há Domingos assim
sem nada que fazer
em que apenas vivemos
por viver
tão pouco pensamos
em morrer

São dias de manhãs enubladas
de montanhas submersas
em que o Sol se passeia pelos campos
só lá mais para a tarde

Dias em que cada um de nós
tem um percurso próprio dentro de si
e outros com os outros
e todos outros mais
pelo mundo fora

Dias em que caminho um caminho privado
num mundo meu, privativo
onde vivo livre e cativo

Mundo em que tudo gira à volta de mim
num vórtice interior demolidor
aflitivo
que varre o próprio Universo
do espaço-tempo

Quando assim é
deixo-me ficar quedo
parado
com cara de enterro
a pensar
e a esfregar o nariz

Sem me sentir triste 
ou alegre
tão pouco angustiado
apenas cismado
devaneio

Como quando como hoje morre alguém
que pouco ou nada me diz
mas que ainda assim homenageio

A propósito:
 - A que horas é o funeral?




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/a-que-horas-e-o-funeral.html

Balada nupcial - 12Jan2018 22:35:00



Ouvi
de um sibilino espírito de virtude
que etéreo habita o mítico templo do conhecimento
esta sábia sentença, que assumi como fadário:
«Só o fogo do amor vence o frio da vida terrena
mantém o corpo ágil e livre do envelhecimento torpe
e rasga com luz a sombra da noite da morte.»

Deitei-me nu
com a minha amada desnuda
virgem imaculada
em alvos lençóis de linho cru
da cor da geada
em noite escura e fria de Inverno
à procura do fogo eterno
da felicidade

Logo ao primeiro beijo se inflamou o desejo
como se beberamos vinho
e os lençóis tecidos de áspero linho
se converteram em fina e rendilhada cambraia
e os corpos enlaçados em suave movimento
se iluminaram na obscuridade do aposento
da mais doce e sublime luminosidade

Acendeu-se a chama do amor no frio da noite escura
almas envoltas em vapor de ternura e paciência
sublime ignescência do fogo que arde e não queima
felicidade que não tarda e perdura
por tempo indeterminado

E os alvos lençóis de linho da cor da geada
transformados logo ao primeiro beijo
na mais fina e diáfana cambraia
ficaram rendilhados por fios do meu sémen quente e incolor
e pela cor carmim do sangue rosa da minha amada 
produto do nosso amor e desejo ardente

E o fogo do amor daquela noite de núpcias sentida
gravou para sempre nas nossas almas e mentes 
com fios de ternura, sémen e sangue rosa carmim
o destino e boa sorte que perdura pela vida
e que assim sobrevirá feliz para lá da morte






Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/balada-nupcial.html

Basta-me o teu olhar - 09Jan2018 23:11:00




Basta-me o teu olhar, sim, para começar
Que não me ignores, que não fujas de mim
Ainda que se de mim foges, inda assim
Mais esperanças me dás de me vir a amar

Se eu te olho com olhos de encantar
É só porque te quero bem, sem outro fim.
Olha-me com olhos de que estás afim
Então, sim, ver-me-ás a rir e a cantar

Mas se teimas em fugir e a não me ver
Nem assim a mim tu me farás desistir
Apenas aumentarás meu cruel sofrer

E se temes que eu esteja a mentir
Pára para me olhar e bem entender
Que o amor que sinto não é a fingir




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/basta-me-o-teu-olhar.html

No limiar da Fé - 08Jan2018 19:35:00



Gosto de orar
na ideia de que adormeço
no umbral do pequeno templo da minha aldeia
e viajo Cosmos além
livre de todo o mal


A sonhar que a mão de Deus me afaga
me faz Revelações
como fazia minha mãe
quando  menino
me aconchegava no seu seio


Ciciando-me doces melodias
de amor e de encanto
como se eu fora um santo
um deus pequenino


Eram ecos
e reflexos
do Criador


O meu pensamento voava
por dentro do sonho
para fora do sono
e o meu espírito vogava pelo Universo
iluminado pela  luz
do seu coração


Tento agora
 ouvir de novo os mesmos ecos
ver os mesmos  reflexos
no umbral do pequeno templo da minha aldeia
na ideia que é o regaço de minha mãe


Não encontrei até hoje
melhor forma de me interrogar
outro verso e anverso
 das agruras da vida olhar
sem me sentir vazio
naufrago do nada
sem me angustiar


Era Deus
que descia do Céu
para me falar de Si
com suavidade
mesmo ali
no limiar da Eternidade


Era eu
que a dormir
despertava por dentro
mergulhava no mais profundo de mim
descobria o meu caminho
e me transformava
em profeta daquele espaço
naquele tempo


Para lá do umbral do pequeno templo da minha aldeia
pregada na parede mais umbria
 ergue-se porém uma Cruz
lustrada pela luz trémula  de uma candeia
que ilumina de divino
o destino sonhado
no regaço de minha mãe




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/no-limiar-da-fe.html

A luz do amor - 05Jan2018 20:09:00



Há uma luz que vem de Deus
que tem origem fora do Universo

Uma luz que não é desviada
pelos corpos pesados em movimento
e a que se não aplica a Teoria da Relatividade
porque é absoluta verdade

Luz que não é atraída pelas galáxias
que distorcem a luz das estrelas
dando-nos uma imagem ilusória do Cosmos
como se projectada nas águas
ondulantes
de um lago

Entra por nós a dentro
reflecte-se na nossa alma
acalma os corações famintos
ilumina a escuridão da cega paixão
causadora da dor
adoça os instintos
e levanta o vento da amizade

Essa Luz

É a Luz do Amor!






Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2018/01/a-luz-do-amor.html

Tantas coisas sem tino a vida tem - 28Dez2017 20:00:00



Tantas coisas sem tino a vida tem

Todas têm destino
porém

Na paz ou na guerra
cá na Terra ou lá nos céus
mesmo a morte
meu Deus!

Os golpes de má sorte
a dor que não acaba
a felicidade adiada
ou a paixão que chega ao fim
parecem não ter sentido
nem valerem de nada
qual vozes que o vento leva

Mas será que é assim?

A lembrança delével que o tempo releva
e na memória se tolda
poderá bem ser a transformação indelével
que nos molda
definitivamente

Tantas coisas sem tino a vida tem

Perceberemos com o tempo
porém
que tudo fica em nós
para sempre
e tudo levamos para o além
certamente




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/tantas-coisas-sem-tino-vida-tem.html

A pensar que penso só porque penso que penso - 27Dez2017 20:44:00








Por vezes fico parado
a pensar

A pensar que penso
só por pensar que penso

Alheado por fora
fascinado por dentro

Sem me aperceber
sequer
do vento
que por dentro
me perpassa
vazio de sentimento
nem quente
nem frio

A olhar o vazio
sem graça
sem me deixar adormecer
a pensar que penso
só porque penso que penso

Fora de mim nada me diz
dentro de mim nada me digo
o coração nada sente
sem penas nem dilemas em minha mente

Entremente
rumino apenas poesia
regurgito poemas
somente

 A pensar que penso
simplesmente
só porque penso que penso






Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/blog-post.html

A mim sem mim me imagino - 26Dez2017 18:34:00







Nas nuvens cavalga o destino
disparando sobre mim
relâmpagos e trovões

Não sei que substância é a minha
que força move o meu pensamento
que sentimento me comove
temo a mim
anjo serafim
em mim
me perder

No meu cérebro bailam dilemas
que florescem em poemas
garantes da minha glória

Sinto medo de os esquecer
sem outro meio  de os escrever
que não seja na memória

Rendo-me ao vento divino
a mim
sem mim
me imagino




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/a-mim-sem-mim-me-imagino.html

Presépio? - 17Dez2017 00:02:00


   
   

Projecto épico do Menino Jesus
nascido de Deus envolto em luz
no ventre da Virgem Mãe
advento de um novo tempo
marco indelével da História

Chama de amor e de paz
brilha na escuridão da guerra
que oprime toda a Terra
e traz a Humanidade refém
no engano da fugaz fama

É Cristo que para nossa salvação
triunfa em cada Natal
sobre a dor e o sobre mal
e nos redime em cada ano
rumo à celestial vitória

   Henrique Pedro

B O A S  F E S T A S




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/presepio_17.html

Nem sei se ainda por cá ando ou se já me fui embora - 14Dez2017 21:31:00







Esta melencolia que me assola
em dias de chuva aborridos
ou quando o sol poente
me deixa lânguido da saudade
de quem anda ausente
estando embora presente
é uma tristeza deliquescente
mais própria dos vencidos

Abandono-me à nostalgia emergente
e paro de me angustiar
viro as costas às perguntas do costume
que sei
de antemão
não terem respostas

É quando uma morrinha miudinha
me toma os sentidos
a ponto de não me sentir nada
nem ninguém
nem magma
nem matéria
em nada materializado 
em nenhum estado de espírito realizado
ocaso ou aurora

Fico sem saber se ainda por cá ando
ou se já me fui embora
se a poesia é coisa séria
ou não passa de uma pilhéria

Até que o ensejo de um bocejo
me faz despertar dessa sonolência demente
e retomar a vida corrente





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/nem-sei-se-ainda-por-ca-ando-ou-se-ja.html

O amor em redondilha maior e em decassílabo - 12Dez2017 22:05:00




(Heptassílabo ou redondilha maior)

É-nos dado, sim, saber
E sentir que o amor
É o oposto da dor
Vital no nosso viver

Seria bom, não sofrer
Sentir só d` amor calor
Sem haver dor ao redor
Viver só puro prazer

Não sabermos bem amar
Nem sabermos bem-fazer
É o amor aviltar

No sentir do sentimento
Ninguém se pode enganar
É puro conhecimento


(Decassílabo)

A todos nós nos é dado saber
E sentir aquilo que é amor
Porque é o contrário da dor
E parte vital do nosso viver

Melhor seria, sim, ninguém sofrer
Sempre sentir, do amor, o calor
Sem que houvera dor ao seu redor
Viver apenas de puro prazer

Muito poucos, porém, sabem amar
E só porque não sabem bem-fazer
Acabam por o amor aviltar

Sofrer na pele e ter sentimento
É, sem ninguém se poder enganar
A melhor fonte de conhecimento





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/o-amor-em-redondilha-maior-e-em.html

Fado do mal amado - 10Dez2017 21:53:00





(Do meu baú de recordações) 
Nunca houve outro amor assim
Uma tão cruel paixão entontece
Entrega tão pura ninguém merece
Nem se a mulher for um querubim

Agora choro lágrimas sem fim
Meu pranto ao longe se esmorece
Como uma mal sucedida prece
Que amargamente se vai de mim

A fada cruel quebrou o encanto
Para sempre seu coração calou
Esta é a razão deste meu pranto

Mas a vil paixão de mim não voou
Por isso canto este triste canto
O fado amargo que me tocou

Chaves, 8 de Março de 1966






Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/fado-do-mal-amado.html

O Amor - 07Dez2017 22:57:00



Só pela imaginação
não vai a lado nenhum
o homem

Não chega sequer a sair da sua própria mente

Só pelo Amor o homem sai de si
chega aos outros
os sente
os toma
ama
e retorna a si

Só pelo Amor o homem penetra no seu ser
percebe a sua razão de ser
e aprende a amar
e a sofrer

O Amor
é essa força interior
que tem raízes no espírito
o perfume do infinito
e o som do absoluto

O Amor
é um resplendor
semente e fruto
sabor da felicidade
sal da verdade
alivio da dor
fonte da paz

O Amor é uma flor
que floresce no coração
e frutifica na razão

Só pelo Amor
o homem voa pelos céus
e pela mão de Jesus
retorna a Deus

O Amor é essa Luz




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/o-amor.html

O mundo acaba no dia em que eu morrer - 06Dez2017 19:55:00



No dia em que eu morrer
apagar-se-ão todas as luzes da Terra
todas as estrelas do céu
o Sol pôr-se-á para não mais nascer
porque os meus olhos fechados nada mais poderão ver

O mundo acabará nesse dia
para mim

Quando eu morrer
calar-se-ão os todos os canhões
os corações deixarão de bater
os meus ouvidos silenciados
tão pouco o cântico das aves poderão escutar

Deixará de haver tempestades na terra e no mar
cães a latir
crianças a chorar
as flores deixarão de perfumar o ar
e de colorir os campos
porque eu não estarei lá para os apreciar e sentir

Todas as lembranças de criança
sonhos de glória
a história da minha vida sentida
se apagarão da memória nesse dia

O mundo cobrir-se-á de um manto de tristeza
sem sentido
porque morrerei sem ter sido tido nem achado
e embora viva apaixonado
ainda hoje não sei porque nasci
e também não saberei
porque morri

Resta-me contudo a esperança
a fugaz alegria
de que o mundo não se acabará no dia em que eu morrer
se uma só boa pessoa continuar a ler
a minha poesia





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/o-mundo-acaba-no-dia-em-que-eu-morrer.html

São rosas! - 04Dez2017 22:05:00





São rosas! Brancas, negras, rubras, amarelas
Aveludadas, rugosas ou multicores
Numa só, a magia de todas as flores
Outras não há assim tão lindas como elas

Perfumadas ou inodoras, sempre belas
Iluminam os olhares com seu amor
Alegram os corações com as suas cores
E perfumam os lares, campos e capelas

Mas as rosas têm certo jeito de amar
Por vezes malicioso e doloroso
Sempre arranjam forma certa de picar

Mesmo a quem as afaga, amoroso
Apenas com a ideia de as mimar
As rosas rejeitam com seu ar caprichoso




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/sao-rosas.html

Alzheimer - 03Dez2017 20:02:00




Amanhã?
vou fazer tudo ao contrário
andar de trás para a frente
virar os retratos de pernas para o ar

Vou tocar os sinos no campanário
pôr a boca no trombone
desligar o telefone

Vou sorrir a quem nunca me sorriu
deitar a língua de fora ao Papa
mostrar o rabo à Rainha 
chamar demente ao Presidente
alegrar os funerais
com bandas marciais
e mandar a crise para a puta que a pariu

Vou chamar os poetas de patetas
deixar de escrever poesia
por de lado a gramática
e viciar os cálculos de matemática

Amanhã?
vou voltar à infância
comportar-me como criança
correr
saltar
viver a vida com alegria
usar peruca
deixar crescer barba e bigode

Amanhã?
vou fazer tudo ao contrário

Dizem que é a melhor forma de me precaver

pelo menos até morrer

? do Alzheimer





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/12/alzheimer.html

Com versos e flores me iludia - 30Nov2017 22:05:00




Abri-lhe o coração de par em par
Sofrendo com o medo de a perder 
Por assim tanto e tão bem lhe querer
E sem saber como bem a conquistar

Oferecia-lhe flores de sonhar
Poemas, arte de bem escrever
Aborrecia-a, porém, sem querer
Com minha forma, pura, de amar

Ela não gostava de poesia
Pelas flores não sentia afeição
Não a conquistava, antes a perdia

Só o brilho das jóias a movia
Lhe fascinava olhos e coração
Eu, com versos e flores me iludia




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/com-versos-e-flores-me-iludia.html

Fogo-de-artifício nuclear - 29Nov2017 21:04:00



Andam agora os homens a forrar o céu
com aviões
satélites
luzes de néon
rastos de luz e de fumo

Presumo que pretendem tapar o Sol com uma peneira
apagar as estrelas
soprar as nuvens
e aprisionar cometas

Já os políticos histriónicos
se julgam donos do Sistema Solar
como se  as estrelas estevessem ali
à sua mão de semear

Queira Deus que tudo não termine num sopro de ferro incandesce
num monumental fogo-de-artifício nuclear
tendo como música de fundo um acordeão atómico
coro de demónios a bailar


Oh, tanta mente demente!

Que sacrifícios agónicos iremos nós penar?




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/fogo-de-artificio-nuclear.html

De barro e poesia - 27Nov2017 23:36:00



Com barro bruto o Criador criou o homem
Insuflando-o com a divina poesia
Para Sua simples recreação e alegria
E sem as dores que ora aos mortais consomem

Porém, tais graças com a poesia eclodem
Que barro vil, por Deus soprado, ganhou vida
Animou Adão e fez Eva apetecida
Dos maiores deleites que na Terra ocorrem

Ao barro, porém, nosso corpo retornará
Finando-se dores e prazeres com a morte
Só a mais pura poesia se salvará

Assim livre da matéria e da má sorte
O homem, com poesia, a Deus louvará
E amará, como Deus quer, Eva, a consorte




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/de-barro-e-poesia.html

Eu? Um proto deus, um Prometeu - 25Nov2017 22:30:00




Sei aquilo que sinto
Sinto aquilo que sou
Sou aquilo que sinto
Sou aquilo sou
Proto deus
Prometeu

Cartesiano
Se minto
A mim me minto
A mim me engano

Eu acredito em Deus
Porque tenho consciência de mim
E em mim acredito

Sinto e penso com o coração, com as veias e as artérias, as células, o cérebro e razão, os instintos e os afectos.
Sinto dor em cada poro e sofro com cada pelo que cai.
 Sou algo que se abre como uma flor no meio de uma floresta de dor, de angústia, suposta felicidade e amor.
 Uma larva que se transforma em metamorfoses de alegria e sofrimento, de vida e fantasia.

Olho o Sol a contra luz
Do lado de cá da vidraça do Firmamento
E cego
Sem ver a Deus

Vislumbro apenas a sombra de mim
A sombra do meu espírito
Batido pela luz de Deus
Por isso me sinto um proto deus
Um Prometeu.

Agrilhoado à minha angústia
Devoro-me a mim mesmo








Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/eu-um-proto-deus-um-prometeu.html

Terra Mater - 24Nov2017 21:02:00




Enlevam-se o meu olhar e o meu coração
Neste doce mar de oliveiras prateadas
Meu bendito berço de mil colinas encantadas
Toma-se o meu ser da mais santa comoção.

Bandos de aves livres voam em livre formação
Pela branda brisa do cair da tarde embaladas
São pela nossa Mãe Natureza abençoadas
Dão asas e graça à sua natural paixão

Terra sem igual sagrada pela oliveira
Aspergida por espiritual quietude
É ganha-pão de gente simples, pura e ordeira

Que nos úberes vales de rio e ribeira
Cultiva sua grata agrária virtude
Assim haja paz igual na Terra inteira




Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/terra-mater.html

Quando a minha alma em mim anda perdida - 23Nov2017 22:18:00



Estou só

Na casa vazia
televisão acesa sem som
silêncio denso
constrangedor

Um cálice de vinho do Porto
semivazio
sobre a mesa

Meio morto
bebo
e encho de novo o cálice da ansiedade

Mergulho
absorto
mais e mais
na mais amarga solidão
amálgama de filosofia, poesia e ansiedade

Descubro
com emoção
que existo
e que a minha alma em mim anda perdida

Não sei que lugar ocupo na humanidade

Mas eis que o telefone toca!

É quem me ama que me chama!

Emerjona piscina da alegria
qual campeão olímpico
ovacionado pela multidão
em mil imagens de caleidoscópio

Agradeço os aplausos

Aplaudo-me a mim próprio






Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/quando-minha-alma-em-mim-anda-perdida.html

Que mil bombas de paz e amor deflagrem sobre a Terra - 21Nov2017 21:51:00





Calar a verdade é mentir

Dar a pensar receber é subtrair

A paixão sem amor é uma forma de odiar

Proclamar a paz a pensar na guerra
é uma forma de guerrear

Urge libertar a Humanidade do terror e da animalidade

Que mil bombas de paz e amor deflagrem sobre a Terra
e os donos do mundo reflictam
para que Hiroxima e Nagasaki se não repitam





Fonte: http://henriquepedro.blogspot.com/2017/11/que-mil-bombas-de-paz-e-amor-deflagrem.html

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Anedotas
O empregado da tabacaria:
- Não tem vergonha? Uma miúda tão novinha a comprar cigarros!
- São para a mamã. Eu, deixei de fumar há 2 anos.

Sondagens
"CHAN RAK KUN" é Amor em?
Marroquino
Albanês
Tailandês
Russo
Chinês
Indiano
Hungaro
Vietnamita
Timorense
Hebraico
Ibernise
JSL

rodinha26
Galeria
©2018, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional