Beijo Azul

Poeta - 09Fev2013 19:55:00



Poeta
 Deixa-me ficar aqui 
admirar a tua poesia! 
Deixa-me contemplar
 as paisagens da tua alma 
Deixa-me mergulhar
 nas águas tranquilas 
 da tua imaginação
 Deixa-me viver 
no paraíso da ilusão 

 Beijo Azul 
01/11/2008


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2013/02/poeta.html

Lembranças - 08Jan2013 13:14:00


Nos teus dedos beijando 
Os meus quadris 
Dançam aromas gotejantes
D`uma flor por abrir

Os poros sedentos 
Matam as lembranças
Evaporadas no meu peito

 Nas ondas onde outrora
 Caravela velejava 
 Ao sabor do vento 
 Em torrente de sonhos 

 No teu peito rocha ingreme
 Lavada de silabas 
Beijadas pela madrugada
Onde pernoitam suspiros 

 8/01/2013 

By Haeremai-beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2013/01/lembrancas.html

Tulipa Negra, Noite Branca - 05Dez2012 22:34:00

Tulipa Negra, Noite Branca

A noite invade a casa
Escondida na brancura do teu corpo
Tão solitária como a folha branca por escrever
Poema, doce abraço onde escondo o meu cansaço

Mergulho na música num nocturno por inventar
A tua pele escreve o lume, maresia do meu olhar
E na penumbra desenha-se a flor
A mais rara num conto de Dumas


 5/12/2012

 HaereMai- Fátima Santos


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2012/12/tulipa-negra-noite-branca.html

Limbo - 28Nov2012 13:23:00

Limbo 

 Vivo a pungência 
 Nas folhas de limbo verde 

 Tento a fuga ao tempo 
Que me devora 
 Na fulgência de ser

 Curvam-se linhas 
 Nas asas dos pássaros
 E o meu coração fica liberto
 Dançando a canção da chuva
 Na fragrância dos lírios 
Esperando o renascimento 
Crescente em ti? em mim! 


 Haeremai 27/11/2012


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2012/11/limbo_28.html

Eu e as papoilas - 15Jul2012 13:50:00




Quero ser como as papoilas
Pelos campos a saltitar
Parecendo borboletas
Vermelhas a voar

A papoila é singela
Singelo é o meu ser
A cor é o meu sangue
Nelas me vi crescer

Fico fascinada quando as vejo
Cheia de encanto enternecedor
Por elas me baloiço cheia de esplendor

Verdes campos, seara alheia
Papoila vermelha?sorrindo
O Sol é centelha
Loira seara? Papoila vermelha

És o ópio da minha vida
Todo o meu sangue estremece
Quando te vejo espreitar
E ao vento livremente dançar
Nestes campos perdida

Espiga doirada, cabeça loira de criança
Sinto-te linda papoila
Enfeitando-me doce lembrança

Haeremai Beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2012/07/eu-e-as-papoilas.html

Beijo esquecido - 26Fev2012 15:02:00

 
Esquecer-te?.
Seria a morte de todas as coisas
È no teu beijo que me encontro
Memórias de sal
 Afagos  de luar

Não posso deixar morrer a memória
Nesta intemporalidade de nós
Onde o sonho balança
Na mudança das marés

Ergo-me em plataformas suspensas
Onde um dia nos encontraremos
Beijo sonhado, meu amor
Cor do teu manto celestial
By Beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2012/02/esquecer-te.html

Os dedos do Destino - 19Fev2012 14:17:00


Por entre ramos dourados
Perpetua-se a saudade do tempo
Mudam-se destinos
Como figuras dispersas nos dedos do vento

Sopra a agonia latente
E adormece o Sol nas brumas da noite
Mas o dia desponta
Colhendo a majestosa Lua
Os ramos doirados tomam a cor da esperança
Erguendo-se na temperança da vida.

(Este poema foi feito com base no poema "Na meia-voz das palavras"da poetisa Maria da Luz Bi eL )

By Beijo azul

© All rights reserved


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2012/02/os-dedos-do-destino.html

maquiavélica - 30Nov2011 05:59:00


Escondeste sob a capa da solidariedade
ofereces o que não tens
falas da fraternidade
vives o que não és

Vives a sombra do medo
da insolvência da união
tétrica e mal resolvida
pelas mentiras urdidas

Falsa transparência
das coisas sentidas

Não escaparás ao que urdes
teia maquiavélica

By beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/11/maquiavelica.html

Fuga - 27Nov2011 19:41:00



Recordo a última lágrima
O último sentimento
No sol de Outubro
Que brinca nas tuas mãos.

É no teu beijo
Que me perco
No nevoeiro
Que cerra os teus olhos

Perdida na cor que me cobre
Neste manto infinito
Perpetuando o sabor
Do mel dos meus desejos

A vontade eterna
Da fuga
Respirando liberdade

Beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/11/fuga.html

Sou apenas.... - 09Out2011 12:00:00


Sou como uma pedra no chão
Pisada na caminhada
louca das horas

Sou uma nuvem parada
Adivinhado a tempestade agreste
  sem demoras

Sou como gota num lago
Transbordando na enchente
das minhas lágrima

Sou como o primeiro sonho
Aquele que marca
os primeiros passos da jornada

Sou um como um Anjo
Aquele que vela por ti
na dor desventrada

Sou apenas uma alma
A que chora e sente
a injustiça perpetuada!

By Beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/10/sou-apenas.html

Trago um relógio que chora no peito - 09Ago2011 04:31:00


Trago um relógio que chora no peito
O seu pêndulo gasto de tanto oscilar
Na loucura deste tempo de amar

Perdida neste tempo, sem me veres.
Acertas as horas vagas de paixão

E neste tempo que seduz
Caminhas nas trevas da noite
E eu sigo-te como um raio de luz
Iluminando o teu corpo
Num destino incerto

Quando nos amamos á sombra do luar
Desditoso templo onde vou naufragar

Rasgos de Sol em cada sorriso
Ondulantes corpos que se fundem
Num tempo único, preciso

By Beijo Azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/08/trago-um-relogio-que-chora-no-peito.html

Risco no teu peito; as asas da Liberdade - 22Jul2011 01:36:00


Encontro-me só
Sentada na relva orvalhada
Quem sabe imaginando um lugar.
De olhos fechados percorro
Uma velha estrada?

Choro em segredo
A escuridão é minha companhia?
Será muito ousar pedir o azul do Mar?
Esse Mar em escorrências
Paginadas num livro?

Mesmo sem te ver
Chega-me a tua imagem
Que me devolve á terra árida
Na minha mente se desenha
A forma perfeita de tantos poemas
Num toque de tinta
Em mais uma página virada

O bater acelerado
Que me faz viver
E não apenas um pássaro
Qualquer sem asas

Desenhado em cada palavra
Na terra seca onde
Os rios são as lágrimas
Que saciam a saudade
E como Ave risco no teu peito
As asas da Liberdade.

By Beijo Azul

22/07//2011


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/07/risco-o-teu-peito-nas-asas-da-liberdade.html

A Lenda do Beijo - 14Jul2011 08:29:00



Nasceste numa noite de luar
Nas margens de um rio ao Sul

Foi um doce naufragar
Em teu peito onde
Os afagos cristalizam
Amanheceres que se eternizam

Beijados na doce sinfonia
Tocada pela folhagem
Da natureza em voragem
Onde o sonho adormecia

Adormecem os cânticos das aves
Caladas pelo feitiço da Lua
Lua que nos banha na ternura
Dos teus beijos
Derramados em êxtases de loucura

Dei-lhe o teu nome
Perpetuei-o
Nas minhas palavras cinzeladas
Pela saudade

E hoje
Hoje canto em versos sem rimas
A dor, a tristeza de ver nas águas
Do mar revolvo
O teu beijo nas ondas do desejo.

Já não és meu.
És amante das vagas
Que beijas
Na loucura da rebentação
Nas espumas que desfalecem
Aos meus pés...
E choro a tua ausência
Nos crepúsculos Nublados
Da minha tormenta

Beijo Azul

13/07/2007


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/07/lenda-do-beijo.html

Voo nas pétalas do teu ninho - 07Jul2011 17:37:00



O meu voo é de uma ave
De asas imaginárias
Suprimindo os ventos ciclónicos
Em cada vela içada!

Morro na efemeridade
De ti

E em cada beijo
Elevo as minhas asas
Nas distâncias percorridas
Deixo o meu sofrer

Caminhos negros e sombrios
De onde parti á chegada
Penas das minhas penas
Ao vento de cada madrugada

Quão maravilhoso é ser ave
Beijada
Pela doce caricia do teu vento
Amando a tua face deitada
Nas maresias
Ondulantes de espumas
Quebradas nas ondas

Perpetuando a alegria do teu vento
Que me faz deslizar.
E se insinua nos meus sentidos
Migrando no perfume
Das pétalas do teu ninho


By Beijo Azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/07/meu-voo-e-de-uma-ave-de-asas.html

Uma lágrima furtiva - 18Jun2011 21:53:00


Esta onda salgada
No mar alto desfaleceu
Sinto-me viva, inacabada
A tristeza perversa,
Nunca morreu

A alegria é pura utopia,
Nunca foi beijada
Existirei
Quando o sal á lágrima
For roubada

Sei que existi
Ao beijar no teu corpo
A Lua redonda
Perdida na cama

Fiquei com o que resta
Olhos vermelhos,
Sangue, seiva
Que corre pró fim

Adormece o sol
Beijando a relva
Orvalhada
Saudade nela deitada

Boca que treme, dormente
Lágrima furtiva
Escorre nos sulcos
Traçados pela vida,magoada


By Beijo azul



18/6/2011


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/06/uma-lagrima-furtiva.html

Amor quase perfeito - 30Mai2011 15:31:00



Este amor que me aprisiona
Nos rumores da noite
Dizima o teu rosto
No fogo dos meus lábios

Este amor selvagem
Amargo, doce
Gestos cortados
Carinhos sublimados
No teu corpo nu

Toma-me num chafariz
De estrelas
Cadentes de loucura
Sobre as tuas pupilas
Do desejo

Desejo de caricias
Poros sedentos
Levados pelo vento

Amor quase perfeito
No peito
Tatuando
Lembranças
Em mim

By Beijo Azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/05/amor-quase-perfeito.html

Rainha por um dia - 09Mai2011 15:14:00



Senti-me uma rainha
Duma corte imaginária
Sorte a minha!
Ser Poeta de saudade lendária.
Saudade que é pedra preciosa
Verde esmeralda ou rubi
Bálsamo para minha alma chorosa
Safira, cor vinho onde me perdi.

Rodeada, duma pequena multidão
Extasiada e sorridente
Orgulhoso meu coração
Encheu-se de esperanças no presente.
Pérolas me foram oferecidas
E eu sentei numa poltrona
Ofereci aos convidados bebidas
Rainha duma saudade sem dona.

Rainha dos sonhos,
de pequena carruagem,
Arreios orvalhados de luar
Rainha de coragem!
Que sonha, sonha sem parar
Sonha com Lua de marfim
Com pérolas verdadeiras,
ao pesçoço em fieiras
Numa felicidade sem fim
Rainha de mil maneiras.
Numa alegria frenética de viver
Nos olhos uma sombra de melancolia
Era rainha ou fingia ser
Rainha por um dia.

Correram rios em mim
Dentro do meu coração
Saboreava uma felicidade sem fim
De repente acordei do sonho no salão.
Não cheguei atrasada
Se ergueram à minha passagem
De rainha não tinha nada
Sómente a minha coragem.


naralia nuno

rosafogo.

Foto de Maria Pinheiro
Foste uma verdadeira Rainha da Poesia! Beijo azul

Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/05/senti-me-uma-rainha-duma-corte.html

Momentos - 28Mar2011 02:07:00

Armik Moments imagem in olhares.com Autor(a) Juliana Anesi

No meu corpo suave
Dengoso
Pelo dedilhar dos teus dedos
Retiras-me sons
Guitarra gemendo

Um corpo em delírio
Dedos hábeis
Ondulações em cordas
Vibrantes de paixão

Toca-me!
E ouve-me
Nestes momentos
De êxtase

Como fazes vibrar
Meu corpo
De guitarra flamejante!

Beijo azul



Armik Moments
imagem in olhares.com
Autor(a) Juliana Anesi




Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/03/no-meu-corpo-suave-dengoso-pelo.html

Escrevi um quadro num poema desenhado - 19Fev2011 14:15:00



Eu queria escrever-te um quadro
Pintado de palavras coloridas
Onde o sol eram os teus olhos
Beijando a vegetação
Da luxúria da vida

Eu queria pintar-te um poema
Escrito de belas cores
Onde a lua sorria
Enfeitiçada pelo ondular do mar

E para que fosse admirado
Estaria na melhor galeria
Aquela onde a Humanidade
Circularia no azul nele semeado
No vermelho vivo do teu sangue


By Beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2011/02/escrevi-um-quadro-num-poema-desenhado.html

Apenas... - 01Nov2010 09:27:00


Olha para mim hoje e sorri...
Mostra-me nesse olhar?
Que ainda existo...

Não digas nada...
Fica apenas aqui?

E deixa que ouça o teu silêncio...
Deixa que navegue na tua alma?
E que ao chegar bem lá ao fundo
Eu sinta de novo a calma?
E queira permanecer?
Neste mundo!...

Basta-me um sorriso teu
Para que o meu dia
Seja perfeito


By Beijo Azul.


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/11/olha-para-mim-hoje-e-sorri.html

Impulso - 09Out2010 18:24:00



Procurei durante tanto tempo
Caminhei sem direcção
Desejei a luz do dia
Ansiei pela cor da noite

O desalento a invadir o sonho
O pesadelo a invadir a alma
Não me aquece a luz do sol
Não me aconchega o luar

Um corpo cansado
As mãos prostradas
A melancolia
Uma caneta esquecida
Uma folha imaculada

Espera consentida
Uma existência fugaz

As horas que passam
Dias que se sucedem..
Sempre iguais....

O desejo de mergulhar
Nas aguas revoltas
A vontade precisa acreditar
Permanecer

O impulso

Nunca mais parar de escrever



By beijo azul





Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/10/impulso.html

4 Folhas de 1 mesmo Trevo - 03Out2010 00:13:00




A autora, Fernanda Esteves, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro ?4 Folhas de 1 mesmo Trevo? a ter lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, no próximo dia 16 de Outubro, pelas 15:00. Obra e autor serão apresentados pelo escritor Paulo Afonso Ramos.


Nanda. Desejo-te muito sucesso e felicidades neste teu projecto

Beijo azul

Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/10/4-folhas-de-1-mesmo-trevo.html

Cruzamentos no Tempo - 22Set2010 19:19:00



O tempo navega
Nas águas calmas da memória
A memória abre as portas
Á Lua que aprisiona o Sol

E na liberdade dos dias
Solta a noite nas estrelas

As estrelas iluminam os olhos
Dos passos da Humanidade
A Humanidade bebe do céu
E dos mares a cor azul

E com o azul se enfeitam
Bordando pássaros brancos
Cruzando o tempo num regresso
Parado na viagem dos caminhantes

Eternos

Beijo azul



Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/09/cruzamentos-no-tempo.html

Ramo de maresia - 15Set2010 23:50:00



Pego num ramo de maresia
E sinto o cheiro de fogo maduro
Que arde em mim.
Sou declínio nas ondas de marés vivas
Canto os encontros dos abraços fortes nos rochedos
Vivo e respiro as cores que me deixaste
Não largo as amarras que prendeste
Presa neste cais
Quando solto lágrimas de sal intenso
É cristal puro que deixaste vivo em mim
Ainda hoje a lua me afaga
No abraço esquecido no tempo
Quando tudo pára ao renascer
Nas ondas do mar que beijo...
hoje e sempre

By Beijo azul



Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/09/ramo-de-maresia.html

Negro da noite, transparências de ti - 01Set2010 22:55:00



Ó Mondego da minha alma
Ondas navegam as minhas mágoas
Negros são os meus desgostos
Verdes são as tuas lágrimas

Fecham-se os meus olhos caminhantes
Perdidos sem sentido
Ficam os meus passos indolentes
Vive na rua o meu fado,
Como um sem abrigo

Ò Mondego da minha alma
Cada gota da tua transparência
Onde a noite amanhece
No negro alvor das tuas capas

Leva-me a saudade,
Traz-me o meu amor, amado
Beija-me a noite e neste triste fado
No teu berço ó Mondego
t
e
r
n
o

Idolatrado


By beijo azul


Fonte: http://beijo-azul.blogspot.com/2010/09/negro-da-noite-transparencias-de-ti.html

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Anedotas
A Maria e o Bernardo, recém-casados, faziam imenso barulho todas as noites. Os vizinhos já se queixavam. Um dia a Maria vai falar com a mãe e explica-lhe o sucedido. A mãe diz-lhe que sempre que eles queiram fazer amor devem ligar a máquina de lavar roupa.
À noite, o Bernardo diz à Maria que quer brincadeira, mas a Maria estava com dores de cabeça e vira-se para o outro lado. A meio da noite a Maria acorda com vontade de brincar e acorda o marido.
- Bernardo vamos ligar a máquina de lavar roupa!?
- Deixa lá que a roupa que eu tinha para lavar já lavei à mão...
Sondagens
"CHAN RAK KUN" é Amor em?
Marroquino
Albanês
Tailandês
Russo
Chinês
Indiano
Hungaro
Vietnamita
Timorense
Hebraico
Ibernise
JSL

rodinha26
Galeria
©2018, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional